amazon

amazon
amazon - clique na imagem

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Quando Os Olhos Falam


      Já passava das das vinte horas quando Lívia começou a se despedir de todos à mesa para ir embora. Imediatamente Lucas a puxou pelo braço e pediu que ficasse mais um pouco. Eram amigos há alguns anos e sempre se encontravam, com mais três amigos também, para uma rodada de cerveja e petiscos. Aos poucos cada um foi se retirando permanecendo apenas os dois e Diana. Diana era amiga de Lívia e quase não participava da reunião deles. Especialmente neste dia havia bebido muito e certamente precisaria de ajuda para voltar para casa. A incumbência ficou por conta de Lívia, que se sentia responsável por Diana ser mais nova e frágil quando bebia álcool. Nada exagerado, porém Lívia se sentia culpada por induzir a amiga a beber de vez em quando.

      Lívia, com as bochechas rosadas e os cabelos um pouco grudados na cabeça devido ao calor de verão, deu um beijo no rosto de Lucas para se despedir, como sempre fazia. Lucas não era de beber demasiado. Era o responsável da turma e sempre levava todos para suas casas. Nesse dia não levaria ninguém, como havia combinado antes de se sentar à mesa. Tinha um compromisso mais à noite e não mudaria sua rota desde então. Lívia, ainda encostada no rosto no de Lucas, demorou um pouco para concluir o beijo. Na verdade quem demorou foi Lucas. Se afastaram e se olharam... Olhar profundo como jamais haviam se olhado antes. Não era aquele olhar carinhoso ou cuidadoso, era diferente... Lívia suspirou, continuou firme pesquisando o fundo dos olhos de Lucas. Mexia os olhos descontroladamente, observando as sobrancelhas, o nariz, a testa, os lábios... Cada detalhe daquele rosto tão conhecido. No instinto, ela entreabriu a boca, como se esperasse um beijo, e Lucas, hipnotizado, retribuiu o olhar e segurou o rosto de Lívia, abaixo da orelha e acariciou a bochecha com o polegar. Estavam muito próximos um do outro... Ele fixou seu olhar nos lábios dela e se aproximou. Lívia fechou os olhos e se entregou, mas antes de tocar seus lábios nos de Lucas abaixou a cabeça, segurou nas mãos dele, pediu desculpas e se afastou. Olhou para Diana, que estava com os olhos arregalados, queixo caído e não sabendo o que fazer. Lívia sorriu, pegou na mão da amiga chamando-a para irem embora. Moravam há poucas quadras do bar em que estavam, portanto iriam à pé. O sol aos poucos anunciava o início da noite, proporcionando uma cena belíssima estampada num alaranjado escuro com pitadas de vermelho e marrom a sua volta. Lívia suspirou, caminhou olhando para o chão e sem falar uma palavra. Lucas ficou observando as duas se afastarem, apoiando os cotovelos na mesa.

      Lívia nunca havia percebido, mas Lucas, quando tinha a oportunidade de estar no mesmo ambiente que ela, não desgrudava em nenhum momento. Quando chegava e não havia cadeira vazia perto dela, fazia com os demais se afastassem até se acomodar ao seu lado. Lívia se divertia dizendo que ele era seu protetor, que quando estava com ele estava com Deus. e ele olhava para Lívia com aquele olhar profundo e enigmático, mesmo tentando mostrar a ela o que cabia dentro daqueles olhos além da doce amizade de anos.

       Lívia, no caminho para casa e sem prestar atenção no que Diana estava lhe falando, suspirava e sentia o coração pulsar rápido. Medo e vergonha era o sentimento que tomava conta dela, uma paixão momentânea por um amigo querido. Jamais imaginou se relacionar com Lucas de um modo que não fosse somente amizade.

      Lívia, percebendo que os olhares de Lucas ultimamente não eram mais inocentes como antes, suspirou e mordeu o lábio inferior. Não sabia o que pensar e nem o que dizer a ele num próximo encontro. Abaixou a cabeça, cochichou sem deixar Diana ouvir, como se quisesse falar para si mesma, que tudo isso era besteira, que estavam sob o efeito do álcool e que tudo continuaria como antes. Respirou aliviada, chegou na sua casa, se despediu de Diana e entrou feliz. Diana seguiu mais uma quadra, onde morava com seus pais.

      Cantarolando e se distraindo com suas coisas, Lucas não saía da mente de Lívia. De repente se via pensando nele, suspirando, boca seca e coração acelerado. Depois se levantava, disfarçava a petulância por ter tido pensamentos quase pervertidos e continuava sua rotina de distrações.

      Os dias se passaram, Lívia estava tranquila quando aos suspiros por Lucas, até se encontrarem ocasionalmente na rua de sua casa. O acaso era o que ela pensava, mas Lucas foi procurá-la. De longe viu o amigo caminhando com as mãos nos bolsos, vez ou outra ajeitando a franja lisa que tapava parte de seus olhos e estampando um largo sorriso ao avistá-la. Lívia, desconcertada, tentou não ter uma síncope com o coração querendo saltar para fora do peito. Sorriu acanhada e caminhou olhando mais para o chão, por vergonha de olhar novamente aqueles olhos cor-de-mel que soltaram faíscas na última vez em que foram olhados. A uma quadra de distância, Lucas parou, cruzou os braços e ficou esperando Lívia se aproximar. Ela, percebendo o longo caminho a percorrer até ele, suspirou, sentiu a boca seca e continuou. Não conseguia disfarçar o largo sorriso e as bochechas já coradas, por causa da timidez. Chegou à frente de Lucas, olhou de novo o fundo daqueles olhos, entreabriu a boca, como se esperasse mais um vez um beijo. Lucas, continuando do ponto onde parou dias atrás, no último encontro, pegou o rosto de Lívia, tocando em seu pescoço e acariciou a bochecha com o polegar. Fixou os olhos nos lábios dela e beijou-a ternamente. Lívia se entregou sem  remorso... Se abraçaram e ficaram parados no tempo, de olhos fechados, sentindo o coração pulsar...

      — Minha ceguinha... Até que enfim percebeu, né? — ele sussurrou no ouvido de Lívia...


❤❤❤


Um Feliz Natal a todos, um Ano Novo repleto de esperanças e realizações. Fiquem com Deus e até!

11 comentários:

  1. Que linda história Clara. Você tem um forma especial e criativa de escrever que prende do começo ao final. Enfim final feliz pra Lívia e Lucas.
    Estive bastante ausente do blog, mais não poderia deixar que o ano terminasse sem passar aqui pra deixar meu carinho e meus agradecimentos por termos caminhado juntamente pelo menos um pouco durante esse ano de 2016 nessa blogosfera. O meu muito obrigada!
    Que o menino Jesus esteja sempre presente na sua vida.
    Desejo a você e à sua família um Natal de Luz e um próspero Ano Novo
    Repleto de alegrias e bênçãos!
    Boas Festas!
    Feliz Natal!
    Feliz 2017!
    Beijos!
    Blog da Smareis

    ResponderExcluir
  2. Boa Tarde, querida Clara!
    Muito bonita a sua história uma vez mais e bem romântica... ótima!
    A cegueira faz bem, dá sabor, rs...
    Seja muito feliz e abençoada!
    Bjm muito fraterno e Felizes Festas!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom esse texto. Precisamos resgatar os romances. Acho que as redes sociais e a prontidão das coisas deixou esses momentos doces que nem o encontro do Lucas e da Lívia morrerem um pouco. Muito romântico, espero que acontece um acaso assim comigo. Sem pressa, sem imediatismo, dando o tempo que for necessário para o melhor acontecer.

    ResponderExcluir
  4. OI CLARA!
    ADOREI, TENS UMA FORMA MUITO PARTICULAR DE ESCREVER, IMPRIMINDO DOÇURA E SINCERIDADE NO QUE ESCREVES.
    PARABÉNS.
    UM FELIZ NATAL COM AS BÊNÇÃOS DE JESUS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que lindo,Clara! Vim agradecer teu carinho e votos que retribuo! FELIZ NATAL e tuuuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom em 2017! bjs,chica

    ResponderExcluir
  6. Bom dia querida Clara!
    Este já havia lido (adoroooo) menos comentado. Quando os olhos se encontram apaixonados parece que é o bastante e tudo se cala... Senti até saudades do meu amado.
    Que 2017 tragas belas histórias e boas realizações para vc e sua família. Boas festas!

    Bjosssssss

    Bia.

    ResponderExcluir
  7. Mas me arrepiei todaaaaaa kkkkkkkkk... Que lindo! Que romântico! 😍😍😍
    Adorei o conto, Clara. Arrasou!

    Aproveito para te desejar um feliz Natal e abençoado ano novo.
    Bjk 😘

    ResponderExcluir
  8. Que lindo Clara, adorei o encontro de Livia com o amor do amigo. Bjao e feliz 2017!!!

    ResponderExcluir
  9. Tem alguma coisa mais doce do que prender o olhar no da pessoa amada? Lindo.
    Claríssima, quero agradecer a sua companhia ao longo de 2016 e desejar um Feliz Ano Novo, com muita saúde e alegrias.
    Abraço festivo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  10. Ah, o olhar... lembro até hoje o primeiro olhar que cruzei com o amor da minha vida, o primeiro olhar com a minha filha, o primeiro olhar com meu cachorro, kkkk... algo muito marcante quando há sentimento envolvido. Abraços, feliz 2017, com atraso mas com desejo de muitas alegrias!

    ResponderExcluir
  11. Boa noite clara!
    Navegando pelas tuas águas, pra deixar um beijo e desejo de uma boa semana!
    Estou de volta.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!