amazon

amazon
amazon - clique na imagem

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

O Pavor Que Cega


Esta semana eu estava trabalhando e o telefone tocou. Era uma ligação a cobrar.

Era minha filha, aos prantos, mal conseguindo falar palavra por palavra. Só consegui ouvir que ela tinha sido roubada.

Gelei! Comecei a chamar o nome dela: "Amanda, onde você está? Roubaram o quê, o celular?"

Ela soluçava e só dizia que tinha sido roubada.

Ao fundo ouvi uma voz de homem que mandou ela colocar a cabeça pra fora, pegou e telefone e começou a conversar comigo: "Alô, a senhora é o quê dela?", perguntou o rapaz. "É a Amanda que está chorando?", perguntei, já tremendo e mal conseguindo falar. "É, sim senhora, ela foi vítima de um assalto e reagiu. Então coloquei ela dentro do meu carro. Ela me deu esse número e disse que a senhora não ia deixar nada de ruim acontecer com ela. Meu problema, minha senhora, é financeiro..."

Num impulso desliguei o telefone. Em seguida ele tocou de novo. Não atendi. Não conseguia nem respirar, tremia muito e tive que me sentar. Me levantei em seguida e comecei a andar de um lado para o outro. Não conseguia raciocinar. Tinha que ligar para alguém, tinha que ligar para o celular de minha filha, mas não me lembrava do número. Peguei a agenda e não conseguia folheá-la. Não me lembrava de nada e a única coisa que pensava era na minha menina chorando dentro do carro de um desconhecido.

Com muito custo consegui abrir na página com o telefone dela. Liguei e ela não atendeu. Menos mal, se tivessem roubado o celular, já o teriam desligado. Liguei de novo: "Oi, mãe".

Sentei, respirei fundo, engoli o choro e perguntei se ela estava bem e onde estava. Estava na faculdade, estudando, como faz todos os dias.

Ainda fiquei um bom tempo tremendo e com medo da minha impulsividade de ter desligado o telefone. E se realmente ela estivesse dentro do carro do cidadão? E eu desligando o telefone será que fariam algum mal a ela?

Não que eu seja antenada, ligada em tudo, principalmente nos perigos e nos trotes que acontecem, mas depois de um tempo percebi que a voz não era de minha filha, que o choro não era como o choro dela, enfim, no pavor, a gente não pensa, não raciocina e qualquer pessoa pode cair em armadilhas desses pilantras que só querem vida fácil.

Imagina uma pessoa idosa com problemas cardíacos, que tem o raciocínio lento, atendendo um telefonema desse?

Passou, graças ao bom Deus. O pavor é imenso e coração de mãe deveria ter vários corações espalhados pelo corpo, caso algum falhe, tem outro para substituir.

Um horror!



17 comentários:

  1. Nossa Clara isso é muito comum de acontecer infelizmente. Na minha família mesmo já aconteceu e minha tia quase infartou. Que bom que tudo acabou bem.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico pensando nessas pessoas idosas, Roseli, que dó!!! Imagina infartar sem ração nenhuma? É de morrer de ódio mesmo!
      Beijos

      Excluir
  2. Isso ´pew uma coisa horrorosa. A primeira vez quase morri! Um susto, mal mesmo! Ontem ligaram pra mim e colocaram um homem pra falar dizendo que tinha sido sequestrado. Como vi que era o n´mero dos presídios do Rio fiquei calma e disse:
    QUE BOM!!! Ele desligou na hora e não ligou! Claro que falei com meu filho logo e estava trabalhando! São uns marginais esses caras! beijos,chica e o pior é que a orientação é para que não falemos ofensas pra eles. Na primeira vez, falei o repertórios de xingamentos de A a Z,rs beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me lembrei de xingamentos, na hora é um horror! Eu tremia tanto que não conseguia nem raciocinar e me lembrar do número do celular da Amanda.
      Mas, graças a Deus, passou!
      Beijos

      Excluir
  3. Ano passado fizeram comigo, Clara, disseram que tinha sequestrado meu filho, mas se deram mal pq, casualmente, meu filho estava comigo e pude então encher os ouvidos deles de desaforos. Sem vergonhas. Só imagino o susto que tu levou! Bjs. Marli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vontade é dar um murro no beiço, um chute nas partes, arrancar os olhos, mas na hora só pensei em desligar o telefone e ligar pra minha filha.
      Um susto enorme que a gente não espera.

      Beijos

      Excluir
  4. Credo Clara, é mesmo para ter um ataque de pânico. Graças a Deus que teve o sangue frio de conferir... nem quero imaginar.
    Já se recompôs? Merecem (mãe e filha) um doce mega-calórico para recuperar. Gosto da sua teoria acerca dos corações das mães :)
    Beijinho querida
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia, depois eu comi todo o brigadeiro que estava dentro da geladeira... nem deixei pra ninguém! Eu merecia mesmo! rsrsrsrsrs

      Beijos, querida, como está a viagem?
      Depois vou ver mais fotos suas.

      Excluir
  5. Oieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!

    Aconteceu comigo também aqui no Rio. E realmente a voz fica muito parecida. Só que, como vivo em favelas, pedi para falar com o Thiago. Eles chamaram o Thiago que voltou a dizer que estava sendo sequestrado. Pedi para falar com o sequestrador novamente. E disse com todas as letras: VTNC, seu FDP e desliguei o telefone.

    O nome do meu filho é Victtor!

    Depois liguei para o Victtor e constatei que estava tudo bem.

    Sangue frio. Viver o problema quando você tiver o problema.

    Beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na hora a gente não raciocina, mas qdo ele falou que o problema dele era financeiro, saquei na hora e desliguei. Continuei com medo, mas deu tudo certo, felizmente.
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Clara que horror , eles são uns FDP mesmo, e já aconteceu comigo é horrivel, da primeira vez eu quase cai na deles , mas da segunda vez eu xinguei de tudo quanto é nome isso lá em São Luis , já aqui no Rio aconteceu uma vez , mas eu não tenho filho e desliguei na hora.

    Espero que vocês estejam recuperadas do susto.

    Beijos e fique com Deus .

    Janaina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um horror mesmo, Jana, fiquei tremendo tanto que não sabia o que fazer. Mas graças a Deus deu tudo certo.
      Depois eu liguei de novo pra minha filha, contei com calma e tudo foi voltando ao normal.
      Beijos, menina!

      Excluir
  7. Acho que você escapou de um daqueles pseudos sequestros através dos quais bandidos roubam pessoas de bem... Não consigo me imaginar no seu lugar, deve ter sido um susto e tanto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um pavor, Pandora, não dá pra imaginar, um horror mesmo. Mesmo falando com minha filha logo em seguida, fiquei imaginando os bandidos irem atrás dela por eu ter desligado o telefone. Um horror!

      Excluir
  8. Oi Clara, infelizmente isso acontece muito. É preciso ficar atento como vc mencionou.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo atenta, ainda fiquei apavorada, Milton, um horror!

      Abraços, ótimo domingo!

      Excluir
  9. Olá Clara!
    Vim pra deixar o link que vc perguntou se tenho blog e pede pra deixar o link, pra receber sua visita: sim tenho e estou te esperando sempre que puder lá em

    http://subjetividadeevoce.blogspot.com.br/

    http://vallnunnes.blogspot.com.br/ este é recente, nasceu esta semana dia 15/11

    http://fizassimecomecouadarcerto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!