amazon

amazon
amazon - clique na imagem

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Incesto

Mais uma polêmica de Walcyr Carrasco, Amor à Vida, Rede Globo, 21 h. 

Herbert é ou não é o pai de Gina?

Segundo Ordália, ele não é o pai de Gina, pois ele a teria abandonado, na juventude, e ela, descontrolada, começou a sair com vários homens sem ao menos saber quem eram. E eu pergunto: será que ela já não estaria grávida, sem saber, após ele a abandonar?

Veremos os próximos capítulos.

Mas fica aqui a polêmica. Por que tantos não conseguem sequer imaginar uma cena de incesto, ou de amor homossexual, ou de obesidade ou qualquer outra cena que foge dos padrões normais?

Vão dizer que novela influencia. Será mesmo? Será que uma pessoa muda assim, do dia para a noite, só porque assiste novela?

Quantas e quantas pessoas que sabem ou pensam que sabem suas origens quando na verdade não sabem? E se relacionam com alguém que poderia ser seu irmão, ou irmã, ou pai, como é o caso de Gina, existe o crime mesmo não sabendo?

Se procurarmos histórias em todos os cantos do planeta, certamente saberíamos de casos semelhantes. Pai com filha, irmão com irmã (isso já foi notícia), enfim, parentes próximos que se apaixonam sem saber suas origens.

E falar sobre esse assunto assusta sim, é polêmico, incomoda mas é a realidade, querendo ou não.

Não é comum, claro, mas existe incesto sim. E por que não falar publicamente sobre o assunto?

Pessoas nascem com a certeza de quem é a mãe, mas nem sempre com a mesma certeza de quem é o pai.

Um caso para se pensar na falta de responsabilidade de alguns em gerar um ser e sabe-se lá o que virá ou quem encontrará pela frente durante a vida. A vida dá voltas, nos surpreende, nos decepciona e o inesperado sempre acontece.

E fica a culpa. Que culpa se os envolvidos são inocentes?

É muito grave isso, não é?

Não condenem o autor, é corajoso o suficiente para debater esses assuntos que a sociedade abomina mas que é vítima tanto quanto.

É conversando que se chega a um denominador comum, é conversando e discutindo que leis são aprovadas, é se sentindo horrorizada que percebemos que o mundo é enorme, redondo, e tudo pode voltar a se encontrar nas situações mais inesperadas.

Conto uma história real: uma mãe sempre perguntava à filha com quem ela estava namorando ou se relacionando. Investigava tudo, nome e sobrenome, nome do pai, enfim, um segredo guardado a sete chaves. Para a menina era apenas uma preocupação e um interesse de mãe, mas para a mãe era uma bomba relógio que poderia explodir a qualquer momento, pois sabia que o pai que a filha acreditava ser seu não era o biológico. E aí? Será que a filha sempre falava a verdade para a mãe sobre seus relacionamentos?

É um horror, não é?


17 comentários:

  1. Hoje vc está muito trágica e dramática. Mas gosto disso!

    Beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que tô mesmo. É o período em que observo mais as coisas dramáticas, escondidas e fico indignada. Daí escrevo e fico em paz!
      Beijos

      Excluir
  2. Excelente artigo! É um tema sobre o qual vale sempre a pena reflectir.
    Beijos
    Lita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refletir, discutir, se informar e tentar resolver da melhor forma possível.
      Beijos, Lita!

      Excluir
  3. Clara gostei bastante de sua abordagem sobre o tema. Acho muita hipocrisia a sociedade jogar para debaixo do tapete temas considerados Tabus. Sou a favor da troca de ideias, de pensamentos até se chegar a um lugar comum ou não. mas conversar sempre. Na realidade, o incesto sempre existiu até mesmo porque, nas antigas civilizações era comum isso acontecer. Com o tempo a sociedade foi criando normas e regras que foram gerando esse mal estar. Não sou contra o autor de forma alguma. Temos mais é que levar os assuntos diante de todos e discutir de forma aberta e sem preconceitos.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Roseli, não adianta tapar o problema. Ele existe sim e é bom ser discutido ou alertado, informando a quem não sabe.
      É um assunto bem polêmico e o autor está sendo bem corajoso em descrevê-lo. Vamos ver no que vai dar.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Clara!
    Ontem me contaram que acharam absurdo a Gina ter uma bíblia na mãe e falar com a mãe que tinha ido na igreja evangélica. Achei demais, pois poderia apenas dizer que tinha ido na igreja sem especificar qual. Daí a mãe diz: "Você sabe que sou católica"... cara! Católico não lê bíblia? A fé católica também não acalma a alma? Como me contaram já criticando, entendo que as novelas querem sim mudar o comportamento das pessoas. Vivemos um país em que a maioria da população é ignorante e essas pessoas assimilam conceitos sem ao menos refletir sobre o que está sendo veiculado.
    Quanto ao incesto, deve ter sido. Atualmente mães e filhas namoram as mesmas pessoas sem o ônus da culpa.
    Na novela "Sangue Bom" também não teve um suposto incesto? O incesto entre irmãos é mais normal do que entre pais e filhos, mas eu prefiro não ser "moderninha" quanto a essa conduta sexual.
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudar o comportamento limitado das pessoas eu até acho, mas não acho que comportamentos da novela vá mudar uma pessoa. Se ela passa a ser isso ou aquilo é porque, com certeza, ela já era assim e não assumia.
      Passou da hora de acabar com a implicância com religiões. Sou católica mas não vou criticar outras religiões por isso. Bem, é novela, e existe sim uma "rixa" entre religiões. O autor está mostrando exatamente isso.
      Quanto ao incesto, acho que ninguém aceita. O que o autor está mostrando é que é possível acontecer por "ignorância" das partes em saber sua origem. A pergunta é: seria crime, não sabendo da verdade?
      É um assunto que choca a gente, mas pode sim, acontecer.
      Beijos, Luma!

      Excluir
  5. Clara, nessa novela estamos vendo de tudo um pouco! Tem pra todos,rs...
    Incrível.Ainda hoje estava comentando com minha filha, o grande "aprendizado" que eles passam ali. Noções erradas, tantas coisas ... Mesmo assim, adoro ver e é a única que vejo, só assisto nesse horário! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, nem acho noções erradas. Acho que é a realidade. Não acredito que a novela possa influenciar tanto assim. Se a pessoa começa a fazer algo errado é porque o jeito dela em fazer coisas erradas já existia. Tem a índole, o caráter, a base familiar, tudo isso influencia, mas apenas uma novela, não acredito.

      Beijos, Chica!

      Excluir
  6. É um horror sim, mas coisas horrorosas acontecem todos os dias!!! Uma pena, mas verdade! Silenciar não vai tornar a vida menos dura, complexa e cheia de enganos e horrores!!! Gosto quando autores falam de temas latentes como esse!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto, Pandora. Mostrar a realidade choca muito, mas é necessário a discussão.
      O autor está sendo corajoso e tem capacidade pra enfrentar a fúria dos que não admitem saber tais coisas ou acham tudo um exagero da mídia. Não é exagero, é a vida e é mais comum do que imaginamos.
      Beijos

      Excluir
  7. Bom dia Clara.
    Acredita que só agora descobri seu outro blog, que é muito bom! Gostei das dicas.
    Já deixei um comentário lá.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milton, cuidar da saúde é fundamental pra se viver bem.

      Que bom que gostou!
      Beijos

      Excluir
  8. Infelizmente os autores das novelas gostam de mostrar o lado mais dramático da vida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é bom pra discutir. Esses assuntos incomodam mesmo, mas se ninguém falar nada, atitudes não podem ser modificadas em favor das pessoas envolvidas.

      Beijos

      Excluir
  9. A personagem da trama, como muitas mulheres, criou uma imagem para o marido que criou sua filha. Talvez ela não saiba mesmo se estaria grávida quando o romance acabou e talvez a maior dor dela seja ver a filha apaixonada pelo seu grande amor do passado que ela jamais esqueceu, sendo correspondida.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!