quarta-feira, 9 de abril de 2014

Esperando Ela Passar


      Há uns dois meses que Evandro a viu pela primeira vez. Ela parou na vitrine e ficou olhando, como se procurasse algo. Do lado de dentro e atendendo uma freguesa não teve como ficar admirando. Mas nos outros dias e praticamente a mesma hora ele esperava-a passar. Não sabia de onde vinha e nem para onde ia. Esperava. E ela passava,pontualmente e lindamente, como se flutuasse, jogando os quadris para os lados, delicadamente, e com o nariz empinado. Parecia mais uma metida, não era tão linda e nem tinha porte de mulher sensual, mas a atração que exercia em Evando era fora do normal.

      Quando ela apontava ao longe simplesmente ele não conseguia mais desgrudar os olhos até que ela passasse por ele e sumisse na multidão. Que mulher, pensava sem entender esse fascínio inesperado por uma pessoa que nem conhecia. Seria casada? Não conseguia saber, pois a moça usava vários anéis nos dedos. Sempre de vestido esvoaçante e salto médio, cabelos bem arrumados e óculos escuros. E um perfume marcante, doce, que enchia a loja e o nariz de Evandro. Tinha que saber quem era ela. Tomaria coragem e qualquer outro dia a abordaria para, pelo menos, convidá-la a entrar na loja para ver lançamentos de celulares ou outro aparelho moderno. Seria essa desculpa que Evandro usaria.

      No outro dia o mesmo ritual. No horário marcado lá estava Evandro na porta da loja esperando a bela passar, com seu gingado sutil, suas passadas delicadas e seu olhar perdido sob os óculos escuros. Que cor teriam seus olhos? Pela cor dos cabelos seriam cor de mel. Lindos e bem maquiados, com cílios que deitavam em sua bochecha quando fechava os olhos. Tudo se repetiu no outro dia e também mais dois dias. Evandro, acanhado, não tivera coragem de ao menos pedir licença e convidá-la a entrar na loja. Não queria quebrar aquele encanto de vê-la se aproximar e depois se afastar. Indo e vindo... Como uma deusa inatingível voltando para seu reinado. Certa vez entrou numa perfumaria e cheirou vários aromas, mas nenhum igual ao que sua deusa usava. Compraria e esguicharia em seu travesseiro para senti-la mais perto enquanto dormia. Quem sabe um sonho mais quente apareceria na noite para lhe atormentar ainda mais?

      Um dia Evandro esperou... E a deusa não apareceu. E nem no outro dia e nem mais nenhum dia.

      Não se conformou de ter ficado só observando e de não ter tido a coragem de conhecê-la. Burro! Era o que mais pensava, burro, idiota! Perdeu a mulher que lhe invadia as noites, os sonhos, as fantasias e lhe roubara o humor. Praticamente arrancou seu coração e levou consigo.

      Dias e dias esperando no horário marcado, na porta da loja de tecnologia e nada! Algumas vezes andava pelas calçadas na esperança de seu pensamento puxá-la para aquele ponto da cidade e, finalmente, conhecê-la. Nunca mais!

      Pela insistência de alguns amigos Evandro aceitou ir a uma pizzaria no final do expediente. Preferia ir para casa e ouvir música, mas concordou, pois não queria mais alimentar a desilusão de não ter feito o que teria que ser feito. Acabou! Foi!

      Antes de entrarem Evandro se assustou. Parou, fechou os olhos e respirou fundo. O perfume... Era aquele o perfume, não tinha dúvidas. Olhou para os lados e nada de encontrar sua deusa. Uma moça parou a sua frente e era ela quem usava o mesmo perfume. De propósito ficou um bom tempo atrás da moça sentindo aquele aroma delirante, fechando os olhos e imaginado a bela se aproximando e pegando-lhe de jeito, ficando na ponta dos pés para lhe roubar um beijo e acabar de vez com seu sossego. Burro! Era só o que Evandro conseguia pensar.

      Resolveu acabar com essa agonia e se aproximou da moça do perfume. Não era sua deusa, mas era uma princesa jovenzinha, lindinha e meiga. Conversaram um bom tempo e depois levou-a para sua casa. Engataram um namoro, noivaram e casaram-se. Foram felizes, mas a bela deusa nunca mais apareceu e para sempre permaneceu em seus pensamentos. Inesquecível, poderosa, sensual, avassaladora!

      Fim.

15 comentários:

  1. Burro mesmo! Deixou a "rainha" e foi ficar com a princesa,rs Só soube sonhar! Falta de coragem dá nisso e tu achas que ele vai ser feliz tendo a outra na mente?rs Acho que não! Lindo conto, como sempre aqui! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Sim, acontece sim, e tudo eterno na memória... isso é bom!
      Beijos, Giu!

      Excluir
  3. Oi Clara,
    Seus contos sao sempre otimos. O cara foi muito timido para ir atras da deusa dele, e acabou levando a melhor, ficou com uma parecida, menos deusa ne? Mulher muito desa deve ser chatoooo. E homem muito babão em cima de uma tem um papo muito chato e depois começa a cobrar a " divindade" pelo resto da vida. Assim foi melhor. Os desfechos que voce da tb sao otimo. Bjossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que a deusa fique no pedestal então, né, Camille. Gostei de seu comentário. Não tinha pensando nisso, mas vc está certa!
      Obrigada, amiga, sempre gentil também!!!
      Beijos

      Excluir
  4. Pior é fica pensando a vida inteira naquilo que ele poderia ter feito e não fez....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade,concordo com você...por isso não devemos arrepender de ter feito as coisas, mesmo que não deu certo pelo menos tentamos!!!

      Excluir
    2. Também concordo, se arrepender do que não fez é muito ruim mesmo...melhor tentar do que ficar imaginando como seria.
      Beijos nas duas!

      Excluir
  5. Lindissimo!
    Feliz quarta-feira

    Bjs
    Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nicinha, sempre gentil por aqui e sempre bem-vinda!
      Beijos

      Excluir
  6. Clara o amor platônico dá nisso. Fica petrificado no campo dos sonhos e de lá jamais sairá tornando-o perfeito. Por outro lado, se ele tivesse tido a coragem de abordar a tal mulher, pode ser que ele tivesse tido uma baita decepção. Ela se mostraria humana, cheia de defeitos e a imagem de perfeição, de deusa cairia por terra em pouco tempo. Ainda bem que ele se deu o direito de conhecer a outra moça, de carne e osso e mais adequada para a vida real. Mas os sonhos não morrem jamais e com certeza, a tal "Deusa" ficará para a eternidade em seu íntimo. Mais um belo conto seu. Adorei!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses amores costumam ser eternos justamente por serem platônicos. Como vc disse, se fosse tocável perderia o encanto...
      Mulher cheirosa e com o perfume da deusa... ele teve até sorte!
      Beijos, querida!

      Excluir
  7. A vida sempre nos apresenta camnhos desse tipo, vamos ao mar, o sdesviamos por causa de uma borboleta, eacabamos chegando ao mar por outra trilha.
    Mas tudo é escolha, mesmo quando decidimos não decidir, é escolha.
    Beijjos.

    ResponderExcluir
  8. O que um perfume é capaz de fazer. Quem sabe foi pelo melhor e a deusa surgiu apenas para lhe abrir os sentidos, para que o amor pudesse entrar na sua vida.
    Abraço, Claríssima, e um doce domingo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  9. Gostei Clara, e a vida continua, pode ser que com a rainha não daria certo, não é...

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!