amazon

amazon
amazon - clique na imagem

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Uma Carta



Sabe, me sinto voltando há uns anos, quando ainda escrevia cartas de papel... Tão romântico, onde pingava umas gotinhas de perfume, carimbava um beijo com batom vermelho... É assim que lhe respondo a carta que me enviou...

Quase não acreditei quando olhei a caixa dos correios e a vi, tão simples, com sua letra cursiva... Meu coração disparou e a primeira coisa que fiz foi cheirá-la, tirando dela um resquício de seu perfume, não aquele que colocam em vidros, mas o perfume de sua pele... Apertei-a junto ao peito, na esperança de aquietar meu coração descompassado e fiquei imaginando suas palavras escritas... Seu carinho ali, todo para mim, em algumas poucas linhas...

Mas na verdade eu queria mesmo era dizer que algo mudou em mim, desde que você chegou, com aquele beijo inesperado, roubado e devolvido, suave e loucamente molhado... Ahhhhhh !!!

Como explicar? Não sei...

Mas mesmo à distância lhe sinto aqui pertinho: seu cheiro, seu gosto, sua respiração quente perto de minha boca... Lembra que eu falava sempre que entre o amor e eu existia um oceano? Então, ele existe agora! Coisas do destino? Quando falamos algumas palavras e algum anjo passa e diz amém?

Todo esse tempo, eu aqui e você aí, um olhando pela fechadura, espiando o que o outro estaria fazendo ou o que estaria pensando... E ao mesmo tempo sentindo o calor do corpo, o toque suave, o entrelaçar das mãos... Os beijos apaixonados que expulsam a alma, com medo de um castigo por tanta ousadia... o olhar brilhante, a lágrima que não suporta tanta paixão e sai correndo em direção ao pescoço, que logo é amparada por uma boca sedenta por sentir o gosto, a boca úmida, entreaberta, com o hálito quente que derrete toda a frieza de uma incerteza que possa, por acaso, estar por ali... Se entregar? Se render? E por que não? 

Qual o sentimento mais puro e mais lindo do que o amor? 

A boca sedenta de desejo, como a boca de um bebê faminto procurando o seio da mãe, para saciar sua fome... Percorre cada milímetro do corpo, saboreando cada sabor, apreciando cada arrepio e cada suspiro... O tempo para... A respiração acelera... A explosão... O ato máximo... O prazer...

Sim, eu me rendo! Sou sua serva, sua escrava, sua dama...

Até pouco tempo atrás eu havia me rendido à solidão, à conformidade de viver sempre sonhando com algo que achava que não existia...

Fantasiava demais, queria demais, escolhia demais e claro que sabia que nada existia. Pessoa romântica tem dessas coisas, mas...  Quando menos esperamos, o que não deu certo em outros lugares, em outras camas, vem aqui e se instala no nosso peito, finca como um punhal e faz o coração disparar; a boca seca, as mãos gelam, as pernas tremem e um sorriso acanhado insiste em permanecer nos lábios. Basta ouvir uma música e pronto! Toda aquela sensação de adrenalina volta; o tempo demora o dobro para passar, os minutos são angustiantes e parecem retroceder como uma tortura da alma...

Até que finalmente tudo se torna real. 

A distância? Que distância pode haver para uma loucura? O amor é uma loucura? Sim, claro! Só quem é louco atravessa léguas em busca de um amor, só quem é louco se entrega sem medo, se perde nos abraços, nos beijos, no prazer... Um corpo grudado no outro... Uma só massa... Um só amor...

Despeço-me agora, meu amor, para que descanse seu corpo junto ao meu, em pensamento e alma... E amanhã recomece toda a tortura, toda a espera pela hora marcada e assim, repetir tudo, agora com mais intensidade e mais ternura...

De sua amada que sonha acordada esse amor platônico e real, embalada numa canção sem letra, para não atrapalhar os pensamentos e as lembranças de momentos inesquecíveis que passamos juntos, seja onde for, seja como for e seja o tempo que for. 

No amor tudo é infinito, mágico... potente... e frágil.

Beijos... milhões de beijos...


**********************************


Texto publicado em 10 de junho de 2013

9 comentários:

  1. Clara! Você botou pra fora tudo guardado aí dentro mulher! Que declaração de amor mais linda, mais voraz, mais intensa, putz! Qual mulher já não passou por isso? E quem não passou não viveu. Já dizia o poetinha. Parabéns amiga amei esse seu texto. De verdade!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Ui! Que delíciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! :)
    Beijo, beijooooo
    She

    ResponderExcluir
  3. O amor é realmente lindo e está maravilhosamente demonstrado em seu belo texto.
    Beijos,
    Élys.

    ResponderExcluir
  4. Ah, a hora marcada de encontrar um amor, pode ser mesmo uma agonia...bos;E uma carta de amor, um encantamento. Tudo na medida, sem excessos, vai bem;
    Lindo texto.
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, Clara
    Quem nunca?
    Amei a sua carta de amor
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  6. Encantei-me Clara.
    Uma linda carta. E era assim mesmo perfumada e também com uma pétala acompanhando.

    Doce e mágico.

    Dias iluminados sempre.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Oi Clara querida, carta é tudo de bom, tanto para quem escreve, quanto para quem recebe.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Olá Clara ! Adorei essa carta ! Possui uma mensagem bem profunda ! Parabéns !
    Vimm desejar-lhe uma semana maravilhosa ! Bjs !

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente... lindo! Maravilhoso! Adorei!!!
    Beijos
    Lita

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!