sexta-feira, 26 de julho de 2013

Momentos de Inspiração - 3ª Edição


Participando da Blogagem Coletiva da M@amyrene. Quem gosta de escrever? Cliquem no link, vamos participar!

      Nome Esquisito - Culpa da Mãe

      - Tina, como foi ontem com aquele gato que você ficou na balada?

      - Nossa, me acabei de dançar com ele, ainda mais na seleção de bailinho. Anos oitenta. Que época boa que devia ser!

      - Qual o nome dele?

      - Kadu, deve ser Carlos Eduardo... Não quis ficar perguntando pra não me comprometer. Imagina ele perguntando meu nome inteiro? Cavo um buraco no chão e me enfio!

     - Nem morta, né? Mas se vocês continuarem a se encontrar, não vai ter como sair dessa. Vai ter que contar!

      - Nem me fale! Primeiro ele tem que ficar interessado em mim de verdade. Primeiro a parte boa e depois os defeitos de pós fabricação.

      - Eu fico imaginando você nascendo e seu pai indo no cartório soletrar seu nome pra moça...

      - Então, minha vida é essa: soletrar meu nome pra sempre!

      - Ainda bem que você é linda, porque se não fosse tão linda assim, cairiam de zoeira com você!

      - Tenho traumas horríveis com meu nome. E o primeiro dia de aula então? Eu faltava, chorava e minha mãe não entendia o porquê. Eu olhava com ódio pra ela, mas não podia fazer mais nada.

      - Acho que agora é permitido mudar o nome, se esse constranger a pessoa. Já foi atrás disso?

      - Sabe, Samanta, eu já pensei, mas esse nome é único, já tá enraizado, hoje eu ainda tenho um pouco de receio, mas consigo me divertir com ele agora. Passou a birra.

      - Imagina o seu Kadu perguntando qual o seu nome? Meu nome é Uitiney Keityellen Pereira. Qual será a reação dele?

      - Vou dizer a ele que tenho nome de princesa britânica. E ele vai se orgulhar de namorar alguém com um nome único no mundo. Daí eu mudo de assunto e ele esquece, já que ninguém guarda meu nome de imediato.

      - Acho que primeiro você tem que embebedar ele, encher ele de beijos, e falar bem sussurrado no ouvido dele... Tem que ser um momento todo especial, num lugar bem sedutor e você toda insinuante. Aí ele se esquece mesmo.

      - Besta! Só porque se chama Samanta de Alcântara Brandão e ter o brasão da família, fica fazendo bullying comigo. Isso é crime, tá?

      - Sua maluca! Vamos lá beber uma água de coco. Eu pago!

      Fim.

13 comentários:

  1. Clarinha, adorei!
    Estou aqui morrendo de rir com o nome.
    Criatividade a mil, hein?
    Aliás, inspiração.
    Xeros

    ResponderExcluir
  2. gostei rs. e eu conheci uma Uíthyneyy... nem preciso dizer q ela morria, mas não falava o nome pra ninguém.... Pedia pra chamar ela de Cida e tava bom ahahha.

    tem pai que ofende os filhos já no nascimento, cada nome q escolhem...
    bjs Clara! bom dia

    ResponderExcluir
  3. Clara,

    Muito legal rsrsr Sei de cada nome de arrepiar!!
    Adorei esta BC!!

    Bjokass e um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  4. Rsssss... menina, vc nem calcula a quantidade de nomes estranhos com que se depara uma professora, e mais:precisa-se de muito jogo de cintura na hora da chamada pra não permitir zoação da turma.Mas, que me dá uma bronca danada dos escrivães dos cartórios, ah, isso dá.
    Excelente participação, aliás, como de costume,né Clara?
    Bjoooo,
    Calu

    ResponderExcluir
  5. Oi Clara, o primeiro nome de um tio era Oliveira. Tudo bem, Oliveira não é tão estranho, mas é sobrenome, rsrsrsrrsrsrs. Já imaginou a gozação? Ah seu nome é Oliveira de oliveira? rsrsrsrsrsrs.
    Grande abraço, saúde e paz.

    ResponderExcluir
  6. hahaha muito divertido! e olha que deve acontecer muito!
    beijos :)

    ResponderExcluir
  7. Rs...Adorei ! Como sempre, arrasas!!! bjs,chica

    ResponderExcluir
  8. Hehe... muito bom! me fez lembrar que quando minha Ângela nasceu o pai dela queria porque queria que ela se chamasse Leontina em homenagem à mãe dele que eu nem conheci. Sua história me fez lembrar essa outra por causa do apelido, "Tina", que ele disse que poderíamos usar pra chamar a menina. Não aceitei de jeito nenhum. Por que é que as irmãs dele, que tiveram meninas muito antes da minha princesa nascer, não homenagearam a mãe?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Olá, querida Clara
    Vc é uma escritora que tem uma fértil imaginação... isso é um grande Dom!!!
    Parabenizo-a!!!
    Escreve com soltura e desembaraço total e ainda, de acréscimo, usa de bom humor em tudo...
    Bjm festivo de paz e bem

    ResponderExcluir
  10. Muito bom Clara!
    Realmente ninguém merece ter um nome tão difícil de pronunciar e tão diferente. Seria bom ter um apelido como Keity. Olha eu aqui vivendo a sua história e tentando dar meus palpites. mas tem muitos por aí que passam pelas mesma situação!

    Obrigado por sua participação e sempre maravilhosa inspiração!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Clara, voltei, rsrsrsrs. É que gostei muito do seu gadget 'recentes comentaristas' que adicionei também lá no blog. Espero que não se importe.
    Abraços, saúde e paz.

    ResponderExcluir
  12. Ui. Ui o quê mesmo?!
    E o Alexandre conheceu uma Ui!
    Muito criativa a tua participação. Adorei!
    Bj

    ResponderExcluir
  13. kkk...demais a sua história!E tem cada nome por aí! Já tive aluno até com nome de margarina: Anderson Clayton e uma menina que o nome se escrevia assim: Leidedai...acredite!Não sei o que esses pais tem na cabeça!bjs,

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!