amazon

amazon
amazon - clique na imagem

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Quem Se Importa?


Bom dia!
Voltando depois de quase um mês...

Um lado bom da internet é o avanço imediato das notícias. E um dos assuntos do momento é a agressão, o abuso, maus tratos, enfim, formas de agredir uma outra pessoa.

Isso inclui o estupro, que é crime.

Muitas pessoas, anônimas ou não, estão, finalmente, admitindo ter sofrido abuso em algum tempo da vida. Não deixo de ficar perplexa por chegar à conclusão que uma atitude dessa se tornar comum e muitas se calarem diante do fato ocorrido.

Não se trata nem me machismo, mas de uma hierarquia que não deveria existir. O não é não sem discutir. O corpo é individual e não cabe ao outro se apoderar como bem entende. Que seja um abraço, um beijo, um aperto aqui, uma passada de mão, o não é não!

O que tenho visto também são muitos que confessam o abuso e mesmo assim são acusados de culpados. Isso é um absurdo! Não importa se homem ou mulher e pior, criança, a vítima nunca é a culpada.

Li em algum lugar, um famoso dizendo que foi estuprado quando era adolescente. Horrível! Não dá pra imaginar tamanhã crueldade, mas ao invés desse famoso ter apoio, sofreu chacotas e deboches. Como se com ele fosse comum tal atitude. O ser humano é esquisito mesmo. Luta pelo feminismo e tal e quando precisa mostrar compaixão pelo próximo simplesmente agride, retrocedendo todos aqueles ideais que tanto gostam. No caso o famoso é homossexual, o que não muda nada, e os comentários foram perversos, horríveis! Diziam que ele havia gostado, que depois desse dia ele passou a ser gay, que agora ele estava querendo aparecer na mídia e toda essa babaquice de quem se esconde atrás do avatar pra despejar merda. Julgam e condenam com a maior naturalidade... Aliás, gente agressiva e mau educada é o que mais tem na internet. Mas na internet podemos filtrar e na vida, nem sempre.

A agressão moral e a ameaça são terríveis! Marcam a ferro e o trauma se instala.

Não podemos mudar essa mentalidade de um dia pra outro. Seria necessário leis severas, mas também sabemos que isso leva tempo.

No momento cabem aos pais educar seus filhos a respeitar o próximo, não só o próximo de sua convivência, mas o próximo independente de quem seja. Aquele ditado "guardem suas cabras que meu bode está solto", deveria ser abolido da mente de todos.

Pais, mães, eduquem seus machinhos a respeitar as moças (idem o contrário) a não tocar no que não lhes pertence, e a saber que o não é não! Eduquem seus filhos a não terem medo de pedir ajuda, deem abertura para um papo sem cobranças, permitam que seus filhos se abram com vocês e, principalmente, ensine a eles que o corpo é sagrado e ninguém tem o direito de tocá-lo sem permissão, que há certas coisas que não se deve fazer, enfim, ter a paciência de educar seus filhos. O que não se aprende em casa, a rua ensina da pior forma possível.

Não levem esse texto como lição de moral, sim? Longe de mim querer passar lição de moral, mas sei que aprendemos no dia a dia e sempre falta algo a acrescentar na vida daqueles que amamos tanto. Filhos estão em formação e os pais são os principais exemplos que eles têm.

Recordando como era há cinquenta anos, graças a Deus evoluímos, e quem sabe daqui cinquenta anos esse assunto já estará resolvido em sua totalidade? Tudo tem um começo...

Uma ótima semana a todos!

9 comentários:

  1. Boa Tarde, querida Clara!
    Os valores estão altamente inveritdos... o que é normal se torna ridículo e o que é monstruosidade passa a ser o normal... Cruz Credo!
    Que Deus nos proteja de gente perversa e sádica!
    Bjm muito faterno

    ResponderExcluir
  2. Oi, Clara! Sabe, esse é um assunto que me deixa bem triste! E muitas vezes a pessoa está bem perto, pode ser da família, um vizinho, amigos dos pais - pior ainda quando é um pai ou padrasto. Marcas inesquecíveis que faz com que passemos a desconfiar de qualquer pessoa que pareça olhar diferente. Sei do que falo. As vítimas se calam ou porque quem está por perto se nega a acreditar, por medo de ameaças ou porque ainda leva a fama de ter provocado. Se calam por medo ou vergonha.
    E sabe, bem lembrada a questão homossexual, sempre defendo e pratico igualdade entre todos, mas esses dias estava lembrando de uma mulher que trabalhava comigo em uma escola e do seu deplorável costume de passar se encostando nas professoras porque o espaço entre uma mesa e outra da salinha onde ficávamos era estreito... aí se você fala alguma coisa, está sendo preconceituosa... nada a ver! Uma coisa é tratar a todos com respeito, outra é se prevalecer de sua opção sexual para fazer o que quer sem que ninguém possa falar nada!
    Está faltando o simples senso de respeito ao outro. Mas como os pais ensinarão os filhos, se eles mesmo são imaturos e desrespeitosos?
    Tomara que esses 50 anos mostrem outra nova e feliz realidade!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Olá Clara, falar de violência é tocar na ferida de várias mulheres em particular. Ainda não se entende como crimes assim se proliferam mais do que noticias falsas na redes. O estupro, abuso sexual é cada vez mais presente pela impunidade. Nesta semana uma moça foi agredida por um trocador de onibus, somente porque estava de short curtinho e seios _a vista. Mas a moça fez BO e estão preparando a prisão.
    Boa cronica amiga.
    Meu terno abraço e bom feriado.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. A própria sociedade faz a justiça em muitos casos. Nas cadeias os estupradores são realmente condenados! abraços

    ResponderExcluir
  5. Por que sera que essas pessoas culpam as vitimas nao é? Será que é muito desejo reprimido? Vontade oculta de que alguem a "estupre"? Falta de discernimento entre sexo consentido. ( Com sentido) e não consentido? Que ignorância não é? Lição de moral nada. Está muito bem dito o teu texto. Bjosss

    ResponderExcluir
  6. Você tem razão em tudo que fala. Muita coisa tem que ser feita para mudar esta situação. Todos têm de parar para pensar, tanto as autoridades como os eeducadores e os pais no exercício de educação de seus filhos.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  7. Também, como você, espero que daqui a um tempo. e que seja curto, não tenhamos mais esse tipo de situação. Leis, punição e o principal, a educação que vem de casa se somem para termos realmente o respeito e dignidade que todos merecem.
    beijo!

    ResponderExcluir
  8. Muito triste tudo isso.
    A célula primeira da sociedade é a família. Pais que se repeitam transmitem isso aos filhos. O exemplo educa e dificilmente os filhos serao diferentes. Mas claro, há exceções.
    Bjk, amiga. 💋

    ResponderExcluir
  9. Clara, gosto do jeito que vc escreve:direta, corajosa, mente aberta! Abriu minha mente tb e concordo com vc, principalmente nesses tempos de internet onde é tão facil atirar uma pedra! Parabéns pelo texto! bjs e bom fds,

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!