amazon

amazon
amazon - clique na imagem

domingo, 11 de outubro de 2015

Criança É Sempre Feliz


Lembrando de minha infância, com poucos brinquedos, muitos amigos vizinhos, pais rígidos, mas apesar tudo, muito feliz.

Criança é sempre feliz, sempre dá um jeito de sorrir de algo, mesmo que seja numa fração de segundos, sempre encontra uma outra criança pros olhares se cruzarem e logo a amizade vem fácil. Nem precisa ter brinquedo, elas são os brinquedos. Nem precisa ter dinheiro, o sorriso, a brincadeira, a alegria, tudo de graça.

Me lembro dos brinquedos que eu mesma produzia: bebês de chuchu, bonecas de espiga de milho, panelinhas de latinhas vazias, roupinhas de papel grudadas com sabonete, pois não podia brincar com cola, bola de meia velha, casinhas de caixa de sapato, e tantos outros. Me lembro que queria muito uma bicicleta, mas nunca a tive. Mas queria aprender a andar. E aprendi. Sozinha, na rua, com a "magrela" de uma amiguinha, sem rodinhas, caindo várias vezes e esfolando os joelhos que ainda sustentam cicatrizes. E o Merthiolate ardido, e as chineladas nas coxas, e os sapatos Buzolin, os únicos que me aguentavam o ano todo, por ter solado de borracha... E a lancheira cor de rosa, suco Ki Suco vermelho e pão com ovo, de merenda... Saudades... Bons tempos, outros tempos, felizes.

Criança sem malícia, sem maldade, sem agonia, sem rancor... Que bom se pudéssemos conservar esses sentimentos e sermos um pouco mais feliz...

Sorte de quem aprendeu, na fase adulta, ou seja, conservou a criança que existe dentro de si. A vida endurece nossos sentimentos e nos causa rancores, dores, lágrimas...

E no Dia das Crianças, que possamos esquecer um pouco as amarguras da vida e sorrir pra ela, com a mesma intensidade com que sorríamos quando éramos pequenos e felizes, assim, de graça.

E que Nossa Senhora Aparecida, minha mãe espiritual desde que me entendo por gente, mesmo antes de saber sobre igreja, santos, religião, já percebia e sabia que por ela seria protegida por toda a vida. Respeitos à mãe de Jesus, nosso grande salvador.

Amém!

12 comentários:

  1. Oi Clara
    Descreveu sua infância e em alguns pontos me identifiquei. Tive uma infância alegre e com simplicidades. Manter acessa dentro de nós o olhar curioso, a alegria singela faz parte do meu momento como vovó, entramos neste mundo cheio dee encantos. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser vovó deve ser mágico! Acho que estou longe ainda de me sentir vovó... Mas qdo for acho que vou amar tanto que vai até doer... rsrs
      Norma, querida, uma ótima semana, beijos!

      Excluir
  2. Que beleza, Clara! Adorei essa infância que foi a de antigamente..Era linda! Hoje, temos os sorrisos, as crianças, mas cheias ,abarrotadas de brinquedos que nem sabem o que fazer! Lindo e bem abençoado feriado! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje comentando com minha filha sobre a infância de antigamente, ela até concordou comigo que pelo que eu conto, antigamente era melhor... rsrsrs
      Vai ver era mesmo e tivemos muita sorte de estar naquela época, né?
      Beijos, ótima semana, fique com Deus!

      Excluir
  3. Olá, Clara! Que delícia suas lembranças de infância! Colar roupas de papel de sabonete eu não tinha visto, rsrsrs! Minha brincadeira preferida sempre envolvia bonecas, ganhava sacolas de retalhos da costureira da minha mãe e fazia roupinhas à mão. Ou cortava roupinhas de papel para as bonequinhas de revista que ganhava só uma vez no ano, pois as revistas era caras - hoje basta imprimir da internet, que graça tem? kkkk
    Meu primo me ensinou a andar de bicicleta com 8 anos, depois de uns bons tombos que levei na lama, kkkk!
    Conservo uma parte do meu coração puro, que perdoa muito fácil, para não endurecer... mas confesso que às vezes penso que o endurecimento me polparia de dores... sei lá. Nasci mesmo é com coração de manteiga.
    Abraços, muitas bênçãos da Mãezinha para você e sua família!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm sou uma manteiga, Bia, choro à toa! Até com propaganda de mãe abraçando filho, ou pai chegando... qualquer coisa me faz chorar...
      É bom ter o coração puro, mesmo que a gente sofra e se decepcione. Tem que haver um equilíbrio entre a pureza e o discernimento de não carregar muito pelo nas costas, coisas de outras pessoas... Aí dói muito mesmo.
      Abraços, querida! Ótima semana!

      Excluir
  4. Infância de antigamente...senti saudades. Que Nossa Senhora Aparecida abençoe a todas as crianças e a todos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bons tempos, boas lembranças, muitos pés no chão, muito contato com outras crianças. Muito bom!
      Amém, Que Nossa Senhora nos abençoe a todos!

      Excluir
  5. Fazíamos os melhores brinquedos do mundo! abração

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, minha vida está uma correria sem fim e por isso quero pedir desculpas aos amigos, pois estou sem tempo para postar e para visitar os blogs que tanto estimo.
    Em breve entrarei voltando à normalidade.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  7. Uma bela lembrança querida Clara, vivemos numa epoca de criança ter que se virar,
    No seio de uma familia pobre do interior de Minas onde a chegada de maçã era motivo de festa, brincar era mesmo uma onda de criatividades. E criança sabe como se virar. Os carrinhos, as pernas de pau, as cordas, bolas de meia, era tudo muito bom alem da brincadeiras de interação.
    Era tudo muito bom amiga e esta criança eu carrego comigo.
    Um carinhoso abraço e beijo de paz.

    ResponderExcluir
  8. Amém! Que belo texto. Também éramos muito criativas, rs. Nossas barbies eram recortes de modelos de revistas de corte e costura que a mamãe tinha. Que tenhamos sempre como exemplo o coração puro das crianças. Beijos e ótima semana para você!!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!