amazon

amazon
amazon - clique na imagem

domingo, 14 de setembro de 2014

Desejo de Vingança


Em tempos de vinganças virtuais que atingem o real, Mário Sergio Cortella e suas palavras necessárias.


Hoje em dia tudo é muito rápido e a maioria sabe que o melhor a fazer quando se sente raiva ou se é injustiçado é se afastar e refletir, até que a raiva passe. Mas todos, contaminados pela rapidez do imediato, fazem justiça com a boca e com as mãos. Pra que isso, meu Deus?

Mas, por outro lado, vemos uma justiça lenta, lerda e nada eficaz no Brasil. O que fazer então?

Eu sempre vou pelo bom senso, mesmo algumas vezes pecando e me sentindo feliz ao saber de um vingança que deu certo. Mas é só isso. Imediatamente depois não vejo benefício nenhum. Na maioria das vezes sinto compaixão por quem é atingido por justiça de quem não tem competência pra julgar.

Que Deus nos proteja de nós mesmos. Amém!

Uma ótima semana pra todos!


6 comentários:

  1. Certamente já cometi vingança, mas quando criança, por coisas pequenas, entre irmãos, principalmente. Uma vingança boba, sem consequências.
    Mas depois de adulta, sabendo realmente o mal que uma vingança traz, nem me passa pela cabeça. Acho que a vida se encarrega de tudo, é só deixar o tempo passar...Aí, se e quando acontecer, alheio à nossa vontade, pelo menos um sorrizinho de satisfação vale, né? rs
    Temos que ser superiores a nós mesmos.
    Beijo e boa semana, Clara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até chegarmos no estágio "a vida se encarrega", uma longa jornada de vingança já aconteceu. Normal...Ninguém nasce sabendo. O importante é termos o bom senso depois e pro resto da vida.
      Beijos, Lúcia, querida!

      Excluir
  2. Nem me fala de justiça!!
    Daí eu fico fera! Minha pressão sobe, fico raivosa, irada e falo cobras e lagartos!

    Mas não saio daqui sem dizer: Se dependermos da justiça nesse paiseco de m, estamos fritos! Ela inexiste!

    Só pra ricos, julgadores, etc... Tenho dito e saio daqui pra tomar um suco de maracujá! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raiva dá e muita, Chica, mas não podemos fazer muita coisa, então, que sejamos decentes e honestos e eduquemos dessa mesma maneira. Contribuímos assim, com nossos filhos.
      Beijos, gaúcha!

      Excluir
  3. "Vou acabar com a sua raça" é realmente uma frase que me deixa perplexa.
    Concordo com o que o entrevistado diz, que não se pode fazer justiça com as próprias mãos. Em teoria. Porque se eu estivesse em algumas situações: por exemplo, aqueles casos em que uma mãe descobre o companheiro ou pai a violar a filha. Esqueça teorias. Eu acho que seria capaz de matar!!
    E concordo com a Chica, também a justiça portuguesa é muito questionável, perfeitamente moldável a quem tem dinheiro... Só não vou tomar suco de maracujá porque aqui não tenho (saudades desse suco e do pão de queijo também).
    Beijinho, uma boa semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruthia, a gente fala isso de forma tão natural que nunca havia pensado realmente no sentido da frase. É medonho pensar que um dia queremos acabar com toda a raça humana, mas o que realmente queremos na hora é acabar com a pessoa, a raça dela única, como se fosse diferenciada das demais... rsrsrs
      Tenso, né?
      Suco de maracujá batido com leite, fica uma delícia! Parece mousse.
      Beijos, querida, ótima semana!

      Excluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!