amazon

amazon
amazon - clique na imagem

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Recente Ex


      A caixa estava lacrada exatamente para evitar um provável deslize de Fabiana. Não queria jogar fora ou colocar fogo nas fotos, mas também não queria cair em tentação de ficar se lembrando de momentos maravilhosos que deveriam permanecer no passado. Não resistiu e deslacrou a caixa.

      A primeira foto rasgada era do casal feliz, amor eterno, promessas e mais promessas. Fabiana sentiu vontade de chorar... Mas não chorou. Nesse dia da foto eles ficaram noivos, surpresa de Rodrigo, que convidou-a para um jantar romântico em sua casa onde ele mesmo preparou uma pizza. Comprou uma pré-assada e colocou alguns temperos para apimentar o sabor. Um bom vinho tinto acompanhou a surpresa. Mesa caprichosamente arrumada com louça branca, talheres com pegadores de madeira, taças para champagne, pois não tinha as próprias para vinho, uma vela comum, encaixada numa xícara e preenchida com sal grosso ornavam a mesa com tampo em granito. Pegou o abajur de seu quarto e colocou na cozinha para criar um clima romântico. Riram muito, fizeram mil promessas e se amaram a noite inteira.

      O sonho não durou mais que três meses. Fabiana se surpreendeu com a frieza de Rodrigo nas últimas duas semanas de noivado. Perguntou o que estava acontecendo e a única resposta que ouviu e nem quis saber de mais conversa foi a famosa frase "não é você, sou eu". Pegou o pouco que tinha na casa do agora ex e se foi, sem olhar para trás, sem pedidos de volta, sem mais conversas. Acabou acabou!

      Nesse ponto Fabiana era decidida. Não aceitava um "tempo" para o amor. Amor não dá tempo. Melhor cortar a relação do que chegar no estágio das ofensas, humilhações, agressões e o mais chato: as cobranças. Se não for por livre e espontânea vontade, melhor não ter nada. Sofrimento existe, sempre existiu e sempre existirá e ninguém morre de amores. Nesse momento Fabiana não resistiu e chorou. Não quis ver as outras fotos. Lacrou a caixa novamente e colocou-a no maleiro do guarda-roupa.

      Foi tomar banho, bem demorado, com tudo que tinha direito. Se produziu toda linda, salto alto, vestido preto básico, bijou discreta, perfume marcante, amadeirado, rímel e batom vermelho. Olhou no relógio e pontualmente na hora marcada tocou a campainha. Emerson. Adora sua pontualidade e nesse dia resolveu investir nesse relacionamento. Era educado, culto e bem-humorado. Um pouco mais baixo que ela, um pouco mais novo, um pouco gordinho, mas muito, muito simpático. Tinha um beijo delicioso e um abraço protetor, sem falar no sexo que a deixava maluca. O homem perfeito para ela. Só faltava o amor que ela acreditava que viria com o tempo, com a convivência. Estava feliz e queria continuar feliz para compartilhar esse relacionamento.

      - Que linda! Te amo, sabia? - disse quando a viu abrindo a porta - Tenho uma surpresa para você. Quer jantar na minha casa? Quer dizer, não é bem um jantar, mas comer uma pizza com um bom vinho. Vamos?

      Fabiana riu e aceitou.

      E a vida continuou, com começos, meios e fins. Que os fins sejam felizes e que não cheguem tão rápido. Que os fins sejam depois de uma vida inteira de convivência. Esse era o seu desejo.

      Fim.

9 comentários:

  1. Lindo e que bom quando o amor impera!! Adorei! beijos,chica e linda semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falta o amor, Chica, mas com o tempo tudo se ajeita.
      Beijos,gaúcha!

      Excluir
  2. Ai Clara, me vi um pouco nesse seu conto. Já passei por situação bem parecida. Como odeio essa famosa e covarde frase que eles costumam dizer! Sou tão a favor da verdade por mais crua que seja no entanto sempre recorrem a essa frase maldita! Mas o jeito e passar adiante e tentar ser feliz novamente. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpas, Roseli, que a gente sabe que são desculpas. Ou a gente aceita ou não. rsrsrs
      Beijos

      Excluir
  3. Adorei o seu conto. Sou assim como a Fabiana, acabou acabou, para quê prolongar e esperar um desfecho pior? Prefiro não chegar as agressões, se sinto que o amor morreu, acabo e vou tentar viver minha vida!
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, Adriana, o fim a gente já cansou de saber como é e ficar prolongando é sofrer de graça.Aí não dá, né?
      Beijos

      Excluir
  4. Fabiana merece ser feliz desta vez, né?
    Estou aqui torcendo por ela...rs
    Beijinhos
    Linda semana
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda semana pra vc também, Verena! Beijos

      Excluir
  5. Oi Clara, gostei do conto, mas eu não guardaria a caixa, quando termina queimo tudo, para não ter recaída. Amar quem te trata bem, é mais fácil, o tempo ajeita tudo.
    Desejo que seja sempre abençoada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!