quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Amor ou Desamor?


Essa semana na novela Amor à Vida, Rede Globo, 21 h, um triângulo amoroso, um jogo de posse, paixão sem limites e uma doença no meio.

Silvia, casada com o médico Michel, descobre um nódulo no seio e terá que fazer uma mastectomia.

Patrícia, amante de Michel não controla sua paixão pelo médico e se encontra com ele nos lugares mais inusitados, com o "consentimento" da mulher dele, Silvia.

Até aí tudo bem, como muito acontece por aí, mas Silvia apela para a emoção e compaixão de Patrícia pedindo para que ela deixe seu marido, pois não suportaria lutar contra essa doença sem a presença dele.

Como é novela,  Patrícia vai se comove e abre mão de seu amor por causa de uma doença grave.

É difícil saber onde existe amor nesse triângulo. Vendo uma mulher, mesmo culta, formada, bem-sucedida e linda se rebaixar a ponto de permitir que o marido tenha uma amante e depois usar uma doença para chantagear a amante pedindo para que ela o abandone, é muito desamor, autoestima baixa e carência. Longe desse gesto ser considerado amor.

Quando amamos queremos ver a pessoa bem, existe o respeito, a admiração e o sofrimento também. Mas mesmo a mulher sabendo que o marido não a ama ainda assim luta com todas as armas que tem para reconquistá-lo. Seria possível uma pessoa viver ao lado de outra mesmo sabendo que não existe mais o amor? Sim, claro que é possível. E como ficaria o marido quando descobrir, sim, porque mentira um dia se mostra, que a mulher chantageou a que ama só para reconquistá-lo?

Uma mentira leva a outra, depois a outra, depois a outra e de repente é tarde demais.

Existem pessoas manipuladoras que destroem a vida do outro. E isso não é porque a pessoa destruída permite, mas sim porque quem ama demais, ama mais o outro do que a si mesmo.

Ficar mendigando amor e atenção é muito constrangedor. Saber que uma pessoa está a seu lado por piedade, por comodismo ou por outro motivo que não seja amor, é viver numa dúvida eterna se o(a) parceiro tem outro(a) ou não por aí.

E a amante sabendo que o casamento dele já acabou e que começou seu relacionamento com ele quando já estava separado? Por que sempre a vida do outro tem mais importância do que a dela? Por que abrir mão de um amor por conta de uma chantagem? Será que é tanta bondade assim? De toda maneira a mulher terá que passar por cirurgia, sofrimento etc, e se acontecer o pior, a amante se sentiria culpada pelo resto da vida? E se a mulher conseguir se recuperar e por piedade o marido fique com ela para sempre?

Não sei qual o pior. Acho que vidas valem muito e não sei se vale a pena abrir mão ou chantagear só para benefício próprio. A vida dá muitas voltas e quem sabe logo mais adiante exista uma outra pessoa que irá amar a mulher que chantageou o marido, mas ela não saberá porque estará presa num amor só dela e não correspondido. E por outro lado talvez a amante não será feliz com mais ninguém, pois ficou um caso mal resolvido no passado.

E pensar que essa situação é mais comum do que imaginamos. Triste, lamentável, infeliz.

Olha, não estou defendendo nem a amante e nem a mulher doente. É só um pensamento indignado, ok?

O que acham?


9 comentários:

  1. ah, Clara. esse é daqueles posts que nem precisa comentar, vc já escreveu tudo o que tinha q ser escrito. pq realmente, a pior coisa é essa mesmo, mendigar amor. é mta falta de amor próprio, tenta-se complementar com o amor alheio. e claro, ele não vem...e nisso há todo um jogo de manipulação. é triste mesmo.
    um bjo, post excelente!

    ResponderExcluir
  2. Triste mesmo,mas eu nunca me humilharia pra outra assim! Falta de tudo, de amor próprio! bjs.chica

    ResponderExcluir
  3. Vou te falar uma coisa, acho que só vivendo uma situação dessa para saber o que fazer, muito, mas muito difícil mesmo. Ah e na novela acho essa Patrícia uma grande bisca. kkkkkk Não consegue ficar sem homem, nem largou do outro, e já que ficar com o marido. kkkkkkkkkkkkkk falando de novela to mudado mesmo.

    ResponderExcluir
  4. P Q P!!!!

    beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
  5. Um momento triste de humilhação para quem mendiga um amor, porém é preciso lembrar e compreender que ela está doente e psicológicamente abatida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Na hora do desespero, sei lá o que faria
    Escrevestes muito bem, Clara
    Parabéns!
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei seu post, Clara, e penso bastante nisso. Deve ser triste a vida de alguém que sabe que seu companheiro (a) ama outra pessoa e prefere se submeter ao comodismo do que libertá-lo e libertar-se para serem verdadeiramente felizes.
    Um relacionamento construído à base de chantagem, dívidas ou pena está fadado ao vazio e à infelicidade.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Acho a novela toda ridícula, então nada mais "natural" o autor dar vida a esse triângulo, que nem é um, de verdade. Banalizaram tanto o amor que hoje tudo é normal na luta pelo que se quer. Homem e mulher são apenas objetos de desejo e descartáveis, mais dia, menos dia.
    Beijo, Clara.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Clara, amor não se implora, é humilhante o que advogada está fazendo.
    Para mim é preto no branco, ou se ama ou não se ama, se não se ama, para que perder tempo, há de existir alguém que nos queira.
    Gosto dos seus questionamentos, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!