amazon

amazon
amazon - clique na imagem

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Momentos de Inspiração - 4ª Ediçao


Participando da ótima Blogagem Coletiva da M@myrene. Vem ler, gente! Vem participar!

      Um Sonho Im(possível)

      Lucimara se arruma, coloca um salto médio, faz um rabo de cavalo, usa maquiagem discreta e vai para o ponto de ônibus. Era sua primeira entrevista de emprego, numa escola particular, onde pretendia o cargo de professora infantil. Amava crianças e sempre soube que sua profissão seria nessa área.

      A escola era longe, mas conseguir uma vaga numa tradicional escola de sua cidade contaria muito para seu currículo. Estava nervosa, pois era tímida e, além de enfrentar essa situação, ainda teriam as crianças, caso conseguisse o emprego, que muitas vezes são maldosas e não poupam comentários e apelidos inadequados. Mas estava feliz e confiante.

      Chegando lá foi encaminhada para uma sala num prédio onde ficava o oratório musical. Uma sala imensa, com algumas portas e com enormes janelas de madeira com vidros transparentes e borrados nos cantos com tinta branca. O assoalho de madeira, velho e encerado impecavelmente, chiava com seus passos, por causa do salto de seu sapato. Numa das paredes apenas um quadro pintado a óleo ornava a decoração. Uma bailarina nas pontas dos pés rodopiava com pinceladas perfeitas e quem prestasse atenção tinha a sensação que logo a seguir viria um salto. Pela situação da moldura de madeira já gasta nos cantos, o quadro era bem antigo. Ela caminhou até o sofá de couro, verde, que ficava em uma das paredes e logo foi pegando uma revista que ficava dentro de um suporte de ferro, pintado na cor ouro velho, bem do lado esquerdo deste. A revista era bem antiga e com algumas páginas arrancadas. Na verdade queria só se distrair com alguma coisa, para ver se relaxava enquanto esperava.

      Uma música suave começou a invadir a sala. Era piano. Alguém em outra sala tocava lindamente um piano.

      - Que lindo! - exclamou Lucimara.

      Não se conteve e foi até uma das portas, que estava fechada, e colou seu ouvido para ouvir se era daquela sala que vinha o som. Sim, era. Lucimara então fechou os olhos e começou a sentir a música. Não sabia qual o nome e não entendia nada de música clássica, mas esse momento a levou à infância, onde ficara encantada por uma amiga rica que tocava piano em sua casa. Algumas vezes ela ia à casa de Rosana para brincar e sempre a via tocar aquele imenso piano. Se apaixonou perdidamente pelo instrumento.

      Esse era um segredo só seu. Jamais diria a seus pais que gostaria de aprender a tocar piano. Eram pobres e não tinham condições de tal luxo. Apesar de pequena já sabia o valor dos objetos e o preço a pagar por algo que saísse da rotina. Guardou esse sonho num canto bem escondido da mente e agora tudo estava tão nítido de novo.

      Não percebeu que a música parara de tocar e a porta se abriu de uma vez fazendo com que se assustasse. A moça que tocava piano também se assustou com Lucimara e começaram as duas a rir da situação. Gentilmente Débora, que era professora de piano, perguntou se ela já havia sido atendida, e depois perguntou se ela tocava piano. Lucimara disse que não mas que amava o som da música clássica no piano.

      Depois de conversarem um pouco e Lucimara contar de seu sonho de infância, Débora disse que se ela fosse selecionada para lecionar na escola, teria direito a aprender a tocar o piano.

      Lucimara não se conteve e começou a chorar de emoção. Débora se despediu e Lucimara voltou a se sentar no sofá, ainda em êxtase por esse sonho estar tão perto de se tornar realidade.

      - Imagina eu, agora, conseguir o emprego e aprender a tocar piano? Que Deus me ajude! - e continuou ansiosa a esperar que a chamassem para sua primeira entrevista e para, quem sabe, realizarem seu sonho de infância.

      Fim.

9 comentários:

  1. Fiquei torcendo por ela para que realize o seu sonho! Lindo!Adorei!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Bela narrativa! Adorei e torci muito por Lucimara. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida Clara
    Vc vai longe... inventa... cria lindamente!!!
    Uniu o útil ao agradável para a personagem principal que criou... Legal!!!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Bela criação. Parabéns pela participação.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Clara,
    é como disse a Chica, ficamos na torcida pela personagem.
    Ah, Lucimara é o nome da esposa aqui, rsrsrsrsrs.
    Abraços, saúde e paz.

    ResponderExcluir
  6. Ficou o gostinho do quero mais.
    Linda história e estou aqui torcendo para Lucimara conseguir os eu emprego e realizar o seu sonho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente com a Irene Moreira. Gostaríamos imensamente de poder ler uma continuação dessa linda história de sonhos e realizações pessoais.

    Cuide disso, Claritcha! Estamos aguardando.

    Beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
  8. Oi Clara, Boa noite!

    Menina que linda essa história.
    Estava lendo e torcendo por ela.

    Beijos e ótima semana!
    Passei la pelo seu outro blog. Gostei!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!