amazon

amazon
amazon - clique na imagem

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Momentos de Inspiração - Continuação


      Uma Chance ao Amor

      Selma, depois que leu a carta de Fernandez, não teve mais sossego. Ficava inquieta, nervosa, agoniada e a pequena Luna percebia pois a mãe não tinha mais paciência em ficar com ela no pátio, para que ela brincasse e corresse com as borboletas. Resolveu então procurar Fernandez.

      No dia em que iria ao encontro do espanhol, não dormiu à noite. Se levantou bem cedo e já se arrumou toda perfumada e maquiada. Colocou um vestido leve e esvoaçante, com estampas de pequenas flores, e um sapato de salto médio. Parecia que o ar tinha lhe fugido do peito e que até os pulmões estavam conspirando contra seu bem estar. Já não bastasse o coração ingrato que não obedecia, agora se juntou a ele os pulmões!

      Chegou ao hotel e se fez anunciar. Fernandez pediu para que ela subisse em seu quarto pois a conversa seria longa. Selma pediu para avisá-lo que não subiria, que estaria esperando por ele na portaria. A recepcionista ao passar o recado, ouviu a resposta e sorriu olhando para Selma.

      Fernandez desceu e Selma quase teve um mal súbito ao vê-lo chegando, como se estivesse em câmera lenta, com aquele olhar matador e irresistível. Precisou se apoiar na parede para não despencar no chão e passar vergonha na frente dos outros hóspedes. Respirou fundo e abriu um sorriso acanhado enquanto Fernandez foi se aproximando. Ela teve a sensação de que ele a espremeria na parede de tão perto que chegou, com aquele sorriso arrebatador... Em instantes Selma se lembrou de todas as noites passadas num quarto daquele mesmo hotel, dos carinhos intensos, das mãos macias a lhe percorrer o corpo, a boca  sedenta de Fernandez que saboreava cada pedaço que pulsava e arrepiava, os olhos negros a lhe despir despudoradamente a alma, lhe arrancando suspiros, gemidos e sussurros de palavras obscenas que ela jamais diria para alguém.

      Ele chegou, pegou sua mão e a beijou carinhosamente perguntando se estava bem. Ela só conseguia responder que sim, com um gesto com a cabeça. Ela abia que ele percebia sua aflição e nervosismo. Convidou-a a sentar no sofá, ali mesmo da portaria do prédio, para que conversassem por alguns momentos, quebrando toda aquela euforia do primeiro reencontro.

      Ele conversava com Selma segurando sua mão delicadamente, olhando-a nos olhos e não cansava de pedir perdão pela atitude egoísta e canalha que havia feito há anos, quando a conhecera. Selma não conseguia disfarçar a excitação de estar perto daquele homem e só conseguia dizer que estava tudo bem, que já tinha passado, que o importante era o presente.

      Fernandez contou que se casara há dois anos, tinha uma filha linda, Rosália, mas que havia se separado há poucos meses. Disse que depois que teve Rosália é que se deu conta de como é ser pai. Mesmo tendo ficado de consciência pesada e culpado por ter deixado Selma grávida, não tinha noção de como agir como pai. Mais uma vez pediu desculpas e ela aceitou e aceitaria quantas vezes fossem.

      Fernandez perguntou pela filha e disse que a imaginava parecida com Selma, com sua beleza delicada, cabelos cacheados, olhos cor de mel e pele branca. Selma disse que Luna era bem parecida com ele, morena com olhos negros, e sedutora também, apesar de ainda ser criança. Ele riu e ficou olhando em seus olhos. Passou a mão em seu rosto e disse que sentira saudades dela, que realmente a amava e que a atitude de tê-la abandonado não foi atitude de homem e sim de um canalha. Selma sorriu, colocou sua mão sobre a mão dele e fechou os olhos esperando um beijo. Ele sorriu, entendeu o recado e a beijou delicadamente. Selma fraquejou e quase desmaiou em seus braços. Se não estivesse sentada, cairia no chão.

      Conversaram mais um tempo, entre um beijo e outro, e Fernandez disse que ficaria um bom tempo no Brasil, pois tinha planos em viver com Selma e Luna e quem sabe levá-las para a Espanha, para poder acompanhar a criação de sua filha Rosália. Selma sorriu, mas seu bom senso não permitiu que aceitasse de pronto. Disse que ficariam esse tempo juntos e se tudo se encaminhasse como esperavam, conversariam. Selma só sairia do Brasil casada com Fernandez. Ele aceitou as condições e a convidou para subirem ao quarto dele. Selma, com o coração aos pulos, empinou o nariz e disse que não, que antes ele conheceria a filha para terem uma afinidade. Só depois é que ela se envolveria com ele. Fernandez riu, olhou para ela com uma cara de não acreditar que seus encantos não teriam convencido aquela mulher. Gostou da situação e aceitou mais uma vez. Na verdade essa atitude o deixou mais encantado por Selma, pois sabia de seus valores e uma atitude contrária o faria pensar duas vezes antes de combinar um compromisso mais sério.

      Selma, ainda trêmula e ofegante, se despediu e foi embora. Fernandez ficou olhando-a caminhar, como uma gueixa, parecendo flutuar sobre o chão, cabelos esvoaçantes e seu perfume que se arrastava por onde ela andava.

      Fernandez ficou ansioso para conhecer a filha Luna e depois desse dia teve certeza de que Selma foi e sempre será a mulher de sua vida.

      Fim.

9 comentários:

  1. Quanta inspiração.
    Tenha uma semana abençoada.
    bju

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Clara, voce sempre se supera nesta estrutura.
    parabéns amiga na otima construção.
    Linda semana a voce.
    Meu terno abraço.
    Beijo de paz e luz.

    ResponderExcluir
  3. Clara,fez bem em fazer a continuação pois deixou todo mundo curioso!Gostei do final que bolou pra Selma!Uma mulher apaixonada,mas que sabe o que quer!bjs,

    ResponderExcluir
  4. Nossa Clara!
    Está com a inspiração afiada, amei o conto, bem escrito.

    Receber sua visita no blog traz alegria e felicidade ao meu dia, obrigada! Volte quando puder e quiser, aguardo com carinho.
    Desejo uma ótima semana!!
    Blogueiras Unidas 1275!
    Paz, amor e muita luz!
    cheirinhos
    Rudy
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!


    ResponderExcluir
  5. Oi Clara,
    Menina como você esta escrevendo bem. Caracas já esta profissionalizada.
    Gostei do final, sempre bem conclusivo.
    A história esta perfeita. Parabéns!


    Ja tem atualização, passa lá pra da uma olhadinha.
    Beijos!
    ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Um lindo final de amor, Clara.
    Era o desfecho que estava esperando.

    Bjs.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!