quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Dia de Consulta


Ontem foi dia de levar os exames para o doutor. Para quem não acompanhou meus posts, eu marquei consulta naquele dia todo atrapalhado em que eu me perdi no meu bairro. Contei neste post aqui.

Antes quero fazer um elogio à saúde de minha cidade. Marquei consulta com menos de um mês de agendamento, com um especialista, no caso um ginecologista, cheguei na hora certa e esperei somente meia hora para ser atendida, médico excelente, agentes de saúde educadas, fiz os exames nos lugares específicos, de graça e com resultados em uma semana e ainda com medicação gratuita. Se fosse consulta particular ou por convênio, o agendamento seria mais longo, a espera no consultório seria mais longa, os exames seriam pagos, a medicação também e a única diferença seria o espaço físico, que no público não é lá essas coisas, mas estava tudo limpo, e no particular, geralmente um luxo. Mas tudo a mesma coisa. Estou falando de consulta simples, com exames simples. Casos mais graves, internações, ainda continuam um caos, como em todo o Brasil.

Então, enquanto esperava, duas senhorinhas conversavam:

- A gente tem que saber que a gente nasce sozinha e morre sozinha. - disse uma.

- Ah, mas isso é verdade, a gente não leva nada dessa vida. - respondeu a outra.

- Cadê seus filhos? Passaram o natal com você? Duvido! - disse a primeira.

- Passaram sim, ficaram o dia inteiro comigo. - respondeu a segunda.

- Mas cadê eles agora, estão com você? - insistiu a primeira.

- Agora não, porque cada um tem sua casa, mas eu não fico sozinha não! E digo que meus filhos nunca me levantaram a voz para me agredir e nem me ofender. Sempre foram muito carinhosos comigo. - completou a segunda.

Depois a agente de saúde chamou as duas e mais algumas pessoas para verificar a pressão arterial delas.

Aí eu fiquei pensando: como será que é envelhecer e sentir, de verdade, que a qualquer momento não estaremos mais aqui?

Acho que só nos damos conta de que a vida é breve quando alguém que amamos morre. E é assim mesmo: nasceu sozinho e vai embora sozinho. Me deu agonia ouvir o papo das senhorinhas. A primeira parecia muito amargurada com tudo e querendo levar a segunda para essa amargura também. Deve ser triste chegar numa fase de "quase fim da vida" e ver que só vai levar amargura, rancor, tristeza e solidão para o outro lado, seja lá qual o lado que for.

A vida da gente é um sopro, um suspiro e tudo pode acabar em questão de segundos. Ontem eu fiquei com medo mesmo, e me lembrei do meu irmão que faz um pouco mais de um mês que se foi. Parece que é mentira, que a qualquer momento ele vai aparecer na minha frente e que tudo isso não passou de um pesadelo de mau gosto. Me lembro do sorriso aberto dele, aquele jeitão de olhar, de andar... acabou. Acabou? Acabou!

Então tá, ficamos por aqui por enquanto, até chegar nossa hora e aí sim, vermos o que acontece lá do outro lado.


20 comentários:

  1. A qualquer hora, jovens ou velhos, podemos viajar pra outra dimensão... reflexivo e lindo texto!beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá um nó na cabeça ficar pensando nisso, Chica!

      Beijos

      Excluir
  2. Adorei a cor!!!

    Mas qualquer dia te conto no me primeiro exame da próstata, em que eu não acreditei no diagnóstico do médico e solicitei uma junta médica!

    Ai.....como era grande!!!!

    Beijuxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx...

    KK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num tô aguentando de curiosidade...
      Conta logo!!!
      rsrsrsrs

      Beijos

      Excluir
  3. Não é nada fácil lidar com essa sensação de perda, mas infelizmente não temos opção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É horrível!
      Mas não temos opção. A vida continua...

      beijos, Kinha!

      Excluir
  4. O país seria outro se essa dedicação pela saúde fosse propagada.
    Enquanto as perdas.. infelizmente temos que lidar com elas.
    Querida, dediquei um selinho a você no meu blog, foi com muito carinho, confere lá.
    Beijos e fique em paz.

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu relato da conversa das duas senhoras.. mas, acho que a morte vem pra qualquer idade e no tempo que dela for.. mas, me pego pensando nisso também.. como será do outro e se vamos nos encontrar com àqueles entes queridos, que mais amamos.

    MIl bjos e boa quarta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que qdo chega a velhice, essa certeza chega com mais intensidade, não sei...
      Eu acredito em vida após a morte e sei que vou encontrar quem já se foi.

      Beijos, querida!

      Excluir
    2. Quando ainda olhamos para traz e vemos as alegrias, os nossos grandes momentos e a certeza que apesar de termos errado muito, um ou outro erro foi necessário justamente por ter sido uma lição, tudo terá valido a pena..., porém quando olhamos para traz e só vemos o vazio de uma vida inútil, de uma vida desperdiçada com atitudes falhas... ai sim, será um momento terrivelmente doloroso e solitário.

      Excluir
  6. É o segundo blog que visito hoje e vejo post sobre alguém querido que se foi. Me lembro de meus queridos que já partiram, pessoas que eu sempre vou amar, e que até hoje a saudade é insuportável. A dor até passa, mas a saudade.

    Sempre lembro, sempre!

    Um dia, todos nos encontraremos, acredito muito nisso.

    Adorei seu blog, espero que sua dor seja confortada.

    Beijos
    Pâmela Rodrigues
    Blog: Liste & Realize
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A saudade acaba com a gente mesmo. E por um certo momento até pensamos que tudo isso não é verdade, que a pessoa está por aí... triste!

      Beijos, querida!

      Excluir
  7. Sobre seu comentário lá no blog, não tem problema não flor. Faça como ficar melhor pra você, eu não ligo muito para essas coisas, faço as publicações apenas porque gosto de evidenciar os amigos queridos que foram indicados e repassar para outros informações e curiosidades.

    Estou copiando minha resposta de lá e colando aqui, farei isso com todos os comentários pois infelizmente o blogger é uma plataforma falha, quando eu respondo a um comentário lá no blog ninguém é notificado e muitas pessoas acabam esquecendo de ir conferir se eu respondi.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  8. Sabe Clara, eu já pensei como será. Se vou ficar sòzinha ou não.
    Mas parei com essa história, quero aproveitar minha vida, aproveitar todos osminutos, não importa o amanhã ......... que a gente nunca sabe se terá.
    Saudade dói muito, não passa nunca, apenas amortece um pouco.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Jô, o importante é viver bem agora.. amanhã ninguém sabe.
      Saudade doi demais mas não temos outra opção.

      beijos querida!

      Excluir
  9. A IDADE CHEGA PRA TODO MUNDO. E O FATO DE FICAR SOZINHA DEPENDE DE CADA UM ESCOLHER ISSO. QUERO SER UM VELHINHA PRA FRENTE IGUAL A MINHA BIZA, ELA É UMA GRACINHA. O MEU FALECIDO PAI JÁ DIZIA A GENTE COLHE AQUILO QUE PLANTAMOS. QUERO COLHER SÓ COISA BOA NA VELHICE VENHO PLANTANDO ISSO.
    BJU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me lembro de minha biza também... ela faleceu qdo eu tinha 5 anos, mas era um doce de pessoa.
      Bom lembrar desses momentos bons...

      beijos

      Excluir
  10. É bom ter a consciência que o nosso tempo por aqui é curto, pois assim não jogamos tempo fora. Será? O ser humano não aprende nunca e está sempre adiando, até mesmo o pensar sobre a morte. Mas isso também é algo que não se deve pensar com tristeza ou fatalidade. Vamos viver os nossos dias, minuto a minuto e pensar num projeto maior que está acima de nós e que não tem nada a ver com tristezas.
    Bom restinho de semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!