sexta-feira, 13 de abril de 2012

Que venha com saúde

Uma frase que nunca concordei e que sempre "corrigi" quem me recomendava:

- Que você tenha uma boa hora e que o bebê venha com saúde!

- Não! Que eu tenha uma boa hora e que o bebê venha! Não importa se é com saúde ou não. - era o que respondia.

Aprovaram a lei do aborto para bebês anencéfalos. O que isso muda? Que a mãe não precisa ficar esperando toda a gestação, sabendo que seu filho vai morrer um dia. Todo o sofrimento da mãe, os longos nove meses, podem ser agora interrompidos.

Isso para mim não muda nada; não vou mais engravidar, e mesmo se tivesse condições de ter outro filho, jamais faria um aborto, mesmo se eu corresse risco de vida. Eu me sentiria péssima com isso. Para mim isso não condiz com o que eu acho.

Mas cada um pensa de uma maneira e o que estou expondo aqui é somente minha opinião, certo? Não quero criticar ninguém, nem apontar dedos e nem dar lição de moral, pois cada uma sabe de sua vida.

Apesar de ser católica,  acredito que existe muito mais numa vida do que um cérebro. Quanto tempo o bebê poderia viver? Já vi casos de bebês viverem por dois anos, mesmo sendo anencéfalos. Como se explica isso? A ciência diz que é devido ao tronco encefálico, mas eu acredito mesmo que nós, quando somos concebidos, já viemos programados para viver um determinado tempo.

Ninguém sabe quanto tempo ficaremos vivos e nem como vamos morrer. E se o tempo programado para nosso bebê anencéfalo for somente durante a gestação mais dez minutos de vida? E se for por dois anos? Será mesmo que temos o direito de interromper um milagre de Deus?

Li muitos comentários de mulheres que passaram por esta situação dizendo que sofreram muito com a notícia de uma gravidez com bebês anencéfalos, que esse sofrimento poderia ser evitado se a gravidez fosse interrompida. Será mesmo? Perder um filho deve ser uma dor imensa, que nem consigo imaginar, mas será que interrompendo no meio do caminho esse sofrimento seria menor? Não seria egoísmo de mãe,  querendo somente evitar a dor, sem pensar numa vida indefesa que carrega? Será mesmo que o cérebro é que comanda nossos sentimentos? E a alma? Como eu disse: cada um sabe de sua vida.

Sou completamente a favor da vida. E ninguém tem o direito de tirar a vida de outro ser. Filhos nos são emprestados, então se tivermos filhos especiais ou com "defeitos", isso significa que somos mães especiais. Se assim nos foi concedido é porque com certeza, teríamos todas as forças do mundo para sustentar a dor.

Me desculpe quem defende essa lei, mas é a mesma coisa dizer para Deus:

- Olha, meu Pai, eu quero um filho, mas se for pro Senhor me mandar um com defeito de fábrica, eu não aceito e devolvo!

Pronto, resolvido o assunto.

Isso é o que eu penso, isso é o que eu falo. E se tiver opinião contrária à minha, é muito bem vinda aqui, pois como ninguém tem nada a ver com minhas decisões, também não me cabe julgar ninguém.


Marcela, um bebê anencéfalo que viveu por dois anos, sendo amada e cuidada por uma família repleta de amor.
Eu tive notícias de Marcela praticamente mês a mês, pois a família é de uma cidade pequena, vizinha da minha. É Deus mostrando seu milagre e colocando por terra toda a ciência. Simplesmente mostrou Sua face.


Ótimo fim de semana!

23 comentários:

  1. Olha, meu Pai, eu quero um filho, mas se for pro Senhor me mandar um com defeito de fábrica, eu não aceito e devolvo!
    Falou tudo ai nesta frase!!!

    Conheço um caso que as crianças eram gêmeas, e uma sobreviveu somente por duas horas.
    Conheço outro caso q a menina hj tem 18 anos de idade( só q essa tem partes do cerebro) num entendia direito naquela época, eu so tinha 10 anos , as duas são de parentes próximas e vi de perto o sofrimento das duas mães, hj eu sou mão, e penso que se fosse no meu caso, nem q fosse pra mim dar um beijo e uma abraço na maternidade,no bebe, eu não abortaria nunca, nunca, nunca!!!! Sou contra totalmente!!!
    bjs otimo fds!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vivian!

      A vida é mistério e ainda acredito que Deus é que sabe o minuto de nossa partida. Mas cada um sabe de si, não é?

      Beijos e ótimo fim de semana!

      Excluir
  2. Clara,esse assunto é tão delicado e polêmico, não é?? Mas, concordo com tudo que você falou, acho injusto , simples "homens mortais" decidir quem deva morrer ou viver, todo mundo nasce com espírito e ele tem a missão de nascer.
    Um beijão, querida, lindo post e um excelente fim de seman.
    Mil beijos, Sheyla.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyla, tudo bem, querida?

      É muito polêmico sim, e com lei ou sem lei, cada um faz o que lhe convier. É complicado, mas eu sou sim totalmente a favor da vida, seja como for.

      Beijos e ótimo fim de semana!

      Excluir
  3. Oi Clara!
    Que pena não abriu a foto! É triste mesmo, que venha para ser recebido com amor e ter seu tempo aqui como foi determinado. Você foi certeira na sua frase, se vier com defeito não quero, é um pensamento um tanto egoista.
    Beijinhos e um excelente fds!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valéria, a foto é um vídeo de uma bebezinha que nasceu anencéfala e viveu 2 anos, muito amada e querida. São obras de Deus que ninguém explica.

      Beijos e ótimo fim de semana!!!

      Excluir
  4. "Olha, meu Pai, eu quero um filho, mas se for pro Senhor me mandar um com defeito de fábrica, eu não aceito e devolvo!" Realmente resumiu tudo nessa frase, isso no caso de anomalias, pior ainda quando nem tem problema algum, apenas não se acham no momento certo, etc.
    Muito bom seu post. Continuemos a favor da vida sempre!
    Beijinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meri, é difícil, mas as pessoas são como são e mesmo com leis ou sem leis, mesmo que provamos o contrário, elas continuam sendo diferentes de nós.
      Mas o importante é que ninguém é igual a ninguém e nós somos sim a favor da vida!

      Beijos, querida, e ótimo fim de semana!

      Excluir
  5. Eu realmente não sei dizer como eu reagiria diante de uma situação dessas. Sou coverde e não gosto de sofrer, mas talvez sofresse ainda mais com a culpa de tirar a vida de um filho.
    Vi você no blog da Elaine Gasparetto e quis vir conhecer. Me encantei com seu blog e já estou seguindo.
    Parabéns pela maneira como expressa seus sentimentos e opiniõpes. gostei muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda, Kinha!!!

      É um assunto delicado mesmo e cada um sabe de si, de suas dores e toma suas decisões. Opiniões contrárias são ótimas porque ninguém é igual ninguém.

      Beijos!!!!

      Excluir
  6. clara deixa eu te contar uma história. quando nós tivemos nosso primeiro filho. as pessoas vinham a nossa casa e dizia isso pra minha esposa. eu olhava e ficava horrorizado: que voce tenha uma boa hora.... - eu ouvia e comentava com a raquel, ela também sentia-se mal com aquelas expressões. as musicas que nos ofereciam pareciam mais funebre do que qualquer outra coisa. parecia que aquele momento lindo para nós dois, se tornaria em um momento infernal. quando fomos juntos para o parto (eu assisti todo o procedimento médico, até a cirurgia) foi lindo demais, foi como um brilho de sol, em uma manha que esperávamos. essas expressoes me incomodam muito também. abraços. bom final de semana - lamarque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Lamarque....

      É um momento mágico, é uma milagre de Deus.
      E o que mais ouvimos quando vamos ter um bebê é conselho inútil.

      Ótimo fim de semana pra vc e sua família!!!

      Excluir
  7. Ola Clara,
    Que saudades! Fechei temporariamente o meu blog para abrir em outro endereço. Ja ja. Quand conseguir mexer com o novo, que ao que entendi é cameliadepedra1@blogspot.com Foi a Luma quem fez para mim, mas nao entendi como entra. Tb nao estava conseguindo entrar nesse velho e que agora esta fechado. Ninguem tem senha, nem voce e ...nem eu. Hoje consegui entrar por sorte. Ate a Luma me eplicar pela centezima vez o que eu preciso fazer.
    Sobre o seu post, sempre acho muito interessante a franqueza com que voce expõe seus pontos de vista. Acho isso maravilhoso. Mesmo que de vez em quando eu nao concorde com voce. É um assunto bem delicado que envolve a mulher, seu corpo, a religiao de uns e de outros que é diferente, a possibilidade de vida de um bebê. O tamanho do sofrimento que é impossivel julgar. Cada um é cada um. A palavra aborto com toda certeza envolve riscos, medos e muito sofrimento. Ninguém faz impunemente, no sentido da dor. Penso que é o maximo que posso falar sobre esse assunto.
    Um beijo grande para você e tudo de bom. Dentro em breve nos encontraremos no meu novo blog. Espero que seja... logo amanha. Estou com saudades de escrever no meu espacinho, acredita? Escrevi um post e so eu vou ler, hehehehe. Mas escrevi na minha pagina do blog antigo e eu pude ver, ta bom.
    Bjao e bom findi!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camille, pelo meu link aqui é cameliadepedra1.blogspot.com.br
      e o email se for do gmail, deve ter um @ antes do gmail e deve ser .com.br ou só .com

      Excluir
  8. Nao tem arrouba.. sera que é isso que estou fazendo errado?!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te mandei email no yahoo.... olha lá!!!

      Excluir
  9. Agora sao 16.37h... Acho que teu marcador de horas esta com algum fuso-horario diferente.

    ResponderExcluir
  10. Acho que a lei é boa, porque também não criminaliza uma mulher que queira fazer essa escolha.
    Eu não tenho filhos e por isso não me julgo no direito de dizer se é certo ou errado.
    Cada um tem que ter o direito de escolher.
    E até Deus nos dá o livre arbítrio né ?

    Mas cabe somente á mulher saber o que vai fazer, o estado não tem o direito de intervir.


    Bjus 1000

    ResponderExcluir
  11. Oi, Pepa!!!

    É isso mesmo, temos o livre arbítrio.
    Se não é mãe não entende o amor que uma mãe sente.
    Escolhas existem pra isso mesmo, cada um faz a sua.

    Beijos e obrigada por seu comentário.

    ResponderExcluir
  12. Oi Clara, você me deixou muito emocionada.
    Não consigo dar minha opinião objetiva. Questionável é sempre.
    Quem passa por momentos como esses, sabe dar o valor. Se quiser saber o que eu senti, visita esse post aqui:
    BCFV-Entender a Deficiência

    Por outro lado, não consigo julgar quem opta pelo aborto. Não me cabe a mim julgar.
    Quando minha filha era pequena, na consulta de neurologia perguntaram: se você soubesse durante a gravidez que a bébé nasceria com problemas, abortava?
    Muito dificil falar sem pensar bastante. E depois de conviver e amar um ser, ninguém mais deseja voltar atrás. Porque essas crianças especiais mudam-nos por dentro, iluminam. Elas são luz pura e transformadora que nos ajuda a enxergar o mundo com o coração de Deus.
    Beijinhos e até amanhã.
    Não esquece, temos encontro marcado na BC Amor aos Pedaços.
    Rute

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Rute!

      O amor não tem "saúde" e nem cara.
      É difícil sim, mas Deus tem sua sabedoria pra nos guiar e nos fazer tomar uma escolha que "nos" satisfaça. Não se se felizmente ou infelizmente.

      Domingo estou na BC, com certeza!

      Beijos

      Excluir
  13. Clara,
    o vídeo é lindo e seu texto, "simples e claro".
    Opinião é opinião, mas acho difícil concordar com o aborto a partir da premissa de que a mulher tem direito sobre o seu própri ocorpo. Sobre o seu próprio corpo, sim, mas não sobre o corpo de um ser indefeso que está sendo gerado dentro dela.
    Abraço,
    Jussara

    ResponderExcluir
  14. Só quem pode e tem direito de tirar a vida de alguém, é o nosso Pai, ( Deus ) pois fora ele ninguém deve se submeter a essa prática, todos nós temos direito de viver e esperarmos o momento certo (processo natural da vida), onde realmente iremos embora sem que seja antecipado este momento.

    Abraços,

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!