sexta-feira, 20 de abril de 2012

A arte de ser bocuda


Dia desses,  lendo os meus queridos que sigo, fui ao blog da Lúcia Soares Sem medida, ao qual ela questiona: calar ou falar?

E aí, como sou do time dela, das bocudas de plantão, claro que deixei meu pitaco lá. E não satisfeita, vou dar meu pitaco aqui também.

Por que realmente temos tanta necessidade de nos expressar e defender nossa opinião? O que isso mudaria na vida de uma pessoa? Eu respondo: nada!

Eu gosto de conversar, falar, ouvir, posso mudar de ideia, posso me chatear, mas... é chato mesmo ficar perto de uma pessoa que fala o tempo todo, que acha que tem razão de tudo, que vive dando conselhos. Acho que já fui assim; não é que queremos ter razão de tudo; passamos por sofrimentos e sabemos o quanto dói, então não queremos ver pessoas que amamos passar por situações parecidas, ou sofrerem, já que sabemos como é e podemos evitar uma dor alheia. Será?

Hoje sei que não é bem assim: a pessoa até escuta, mas no fundo acaba fazendo o que tem vontade, o que quer. E isto é certo! Precisamos sim passar por situações, por agonias, por dores, para podermos crescer, amadurecer. E também cada um tem uma reação para uma situação: o que é bom para mim, não é para minha filha, ou para uma amiga etc.

E quem tem este hábito de falar e se impor, geralmente tem dificuldade para ouvir e aceitar a opinião do outro. Que difícil!

Cada um tem um jeito e vai ter suas próprias dores, cada um reage de uma forma e não nos cabe mudar isto. Conselho é uma coisa, mas se impor querendo modificar o modo da pessoa pensar, é outra bem diferente. Uma atitude radical como esta, acaba afastando a pessoa do nosso convívio. Ninguém aguenta pessoas que falam demais, que são radicais demais, que reclamam demais, que são inconformadas com tudo, que se incomodam como a outra pessoa vive, o que come, o que veste, o que segue, o que faz e como faz. O que poderia interferir na minha vida, sabendo que a outra pessoa não gosta das mesmas coisas que eu? Nada!

Bom senso, aceitar as diferenças e respeitá-las, conviver da melhor forma possível, e estar sempre por perto, caso a pessoa, numa dessas quedas, precise de apoio. Aí sim, seremos indispensáveis e quem sabe, a pessoa pare e nos escute, reflita e tome outras atitudes. E o mais importante: aprender com as diferenças.

É isso então!

Um ótimo fim de semana!

18 comentários:

  1. eu entendo tudo o que vc falou. esses dias precisei terminar uma amizade por causa disso, a pessoa "precisa falar" tudo o que pensa...e nem quis saber de respeitar meu estado (a perda da Glorinha, no dia anterior e a pessoa sabia). poxa, isso me indignou. qdo a gente tá de boa, até da pra ouvir opiniões, mas... tem gente que é meio doente nisso né, precisa brigar por qualquer coisa. mto bem colocado, Clara!
    bjs e bom dia pra vc

    ResponderExcluir
  2. Clara concordo com você.
    Realmente tem pessoas que pedem para a gente falar depois não dá a mínima e a situação fica chatissima!
    Já aprendi, escolho as pessoas ..........
    Porque ficar perto de alguém que fica mudo e não sabe conversar, aí então, bye, bye rsrsrsr.
    Bom finde. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Clara, é isso, o melhor é escolher o meio termo e só falar se solicitado. Há coisas que têm que ficar só pra gente. Mas dificilmente seguimos à risca. Sempre fui de falar muito, o que pediam ou não, mas só em casa, com os meus. (na família, em geral, pais, irmãos, filhos, marido, etc.).
    Tem também o lado de termos que saber pra quem falar, pois há pessoas que não merecem que nos preocupemos.
    Nunca fui adepta do pensamento de que "é preciso quebrar a cabeça para aprender". Acho que quem tem juizo "obedece" aos conselhos, analisa pelo menos, não sai fazendo e depois se arrependendo. Se me avisam que aquele caminho é o do lobo mau, geralmente não vou mesmo! rsrs
    Hoje sou mais ponderada.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lúcia!!!

      Já fui faladeira também... hoje nem tanto, hoje levo com mais leveza...
      Mas sou teimosa que só! Se me falam (geralmente nunca me falaram, acho que por isso sou assim), se me falam que aquele lugar não pode, aí vou lá ver se não pode mesmo. Mas isso foi no passado, na época revoltosa que tive.
      Mas é bom ser assim, como somos.
      E conselho pra filho a gente dá mesmo, e eles escutam, nem se for na base do chicote! (brincadeirinha)

      Beijosss

      Excluir
  4. Clarinha também já fui bocuda, mas aprendi que só devo falar o suficiente para não perturbar.
    Penso que essas pessoas que vivem a tagarelar e mostrar o que faz e acontece e brigar e falar de suas experiências e exemplificar todo tempo sem dar uma trégua para ouvir duas palavrinhas, nem sei como classificar, mas enche o saco.
    Xeros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk
      Enche mesmo!!! Eu dou uma disfarçada, dou meia volta e vou.... ou então começo a rir de alguma coisa, uma bobagem qquer....
      A gente aprende a lidar com situações... mas não é fácil!

      Beijoss

      Excluir
  5. Bom dia Clara,
    olha só que legal, nossos posts falam quase que do mesmo assunto, rsrsrsrs.

    Grande abraço, saúde e muita paz interior.

    ResponderExcluir
  6. Amiga, se me morder eu grito, não tem jeito. Procuro ser educada, mas se a pessoa se impõe a mim, digo, se vem me cutucar, eu tbm me imponho. Sabe aquela máxima "não temo os maus, mas o silêncio dos bons", eu penso nisso. Tem o negócio das três peneiras tbm, temos que ver se o que vamos falar será para o bem, se é verdadeiro e necessário, né? Falar tudo que vai na cabeça, claro que tbm não convém, porém silenciar quando deveríamos dar testemunho em favor da justiça é uma omissão gravíssima. Enfim, bom senso é tudo.
    Beijinho....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu temo o silêncio dos bons, também! Soa muito falso... aquela pessoa que sempre tá com um sorrisinho na cara... concordando com tudo.... não dá!!!

      Beijossssss

      Excluir
  7. Conversar é realmente uma arte difícil. Precisamos estar atentos para manter o equilíbrio na conversação.
    Bom fim de semana. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Clarinha, tua "clareza" foi total.
    Imposições de ideias e opiniões não são o melhor caminho de apoio a ninguém.Algumas vezes apenas escutar ajuda mais do que falar. Sou daquelas que tbém aprendi na estrada e cheguei na mesma conclusão que vc: todo mundo(adulto) pode ouvir conselhos, mas tem em seu íntimo a certeza da ação que fará.

    Por isso, há tempos trago pendurado no coração o velho e precioso "bom-senso", utilizado muitas vezes ao dia.
    Adorei nossa conversa, menina.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Clara, pura verdade.
    Também acho que todo mundo tem o direito de expressar suas opiniões.
    O ruim é quando não respeitam a opinião alheia e o pior ficam nervosos e até querem brigar... é como vc disse, a gente pode ficar com a garganta seca de tanto querer impor a nossa opinião, mas quando a pessoa quer faz a sua vontade, rsrs

    Bjus 1000 queridona

    ResponderExcluir
  10. Oi Clara..bom domingo
    É Assim... nos viemos ao Mundo näo como pecas decorativas vemos para participar em algo que ja existe ha muito..e com a nossa colaboracao pode ser melhor ou pior depende do empenho de cada um....

    Ficar calado nao leva a lado nenhum.. só se deve ficar calado se nao tivermos bases para respostas e nao entendermos dos assuntos que estao ser discutidos...Participar opiniar e descordar e concordar faz parte da vida do ser humano..é certo que Deus colocou em nos dois ouvidos e uma boca...Por certo para ouvirmos mais e falarmos menos... Mas ele proprio falou..protestou e foi ouvido... mal ouvido ainda hoje ele Deus continua a ser mal interpretado por muitos que estao neste Mundo..

    Eu so me calarei..em assuntos que nao entendo..mas tentarei participar com educacao ouvindo outros e tentando aprender com eles..o que nao se sabe hoje..pode se saber amanha depende de nos se temos interesse em aprender e todos os dias isso acontece...

    Um bom domingo fique com Deus e com saude
    Um beijo
    Rui

    ResponderExcluir
  11. Há que aceitar e respeitar a opinião dos outros , para que os outros também aceitem e respeitem a nossa opinião.
    Um blog interessante!
    Uma boa semana

    ResponderExcluir
  12. É Clara... opinião e sugestão a gente até tem o direito de dar, mas sem impor que sejam aceitos, né? Conselhos, nunca! Desculpe a demora em vir aqui, mas só hoje foi que atualizei o Avaliando a Vida! Bjks e uma boa semana para você! Tetê

    ResponderExcluir
  13. Eu ando exercitando o silêncio, mas tem hora que não dá e acabo falando. Os momentos de decisão são extremamente solitários, mas ter ouvido a experiência de alguém ajuda muito.
    Linda semana!

    ResponderExcluir
  14. Lembrei de um provérbio que gosto muito:
    "A língua dos sábios torna atraente o conhecimento, mas a boca dos tolos derrama insensatez." Provérbios 15:2
    Boa semana!!!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!