segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Acabou o sofrimento

Finalmente, o Corinthians é campeão do Brasileirão/2011 - Pentacampeão!
Eu gosto de futebol, gosto de esportes, acompanho sempre, na medida do possível, e não entendo nada de nada; só torcer!
Na verdade nem sei quem são os jogadores, quer dizer, sei só alguns; é que muda tanto e não fico acompanhando esse quesito. Para mim é bola na rede e pontos na tabela. Tá bom, né?
Eu gosto do "antes" e do "depois" do jogo; eu me divirto tanto que se não tivesse o jogo, eu já estaria feliz.
Mas é muito bom torcer, sofrer por uns minutos e, ganhar!
Geralmente eu fico sozinha assistindo; e sou uma pessoa muito intensa, histérica durante, grito, xingo, levanto, pulo, chego perto da TV, dou palpites; e, pronto, acabou o jogo, acabou!
Não sofro além do jogo. Não choro, nem fico triste; vida normal.
E olhando por aí, o que acontece com torcidas rivais, é difícil acreditar em atitudes selvagens de pancadarias, agressões, mortes...
Gente, será que eles se esquecem o salário milionário de um jogador? Quantos anos um trabalhador torcedor fanático precisaria trabalhar para ganhar o que um jogador ganha em um mês? A vida toda?
O que será que um jogador, que ganha uma fortuna e diz que é salário, faz depois de um jogo, de uma final de campeonato? Pega o ônibus e volta para casa?
E quando perde? Vai chorar e encher a cara no primeiro boteco?
Acho que não preciso responder essa; mas vou responder sim!
Eles vão em churrascarias, fazem festinha privê com tudo do bom e do melhor, pegam um jatinho e vão viajar para espairecer a decepção etc.
E os pobres mortais, pagantes de arquibancadas lotadas, ainda brigam por eles? Morrem por eles?
Ah, pessoas, sinto muito, mas isso é o cúmulo da burrice.
É só um jogo, que todo ano se repete. Ano que vem tem mais; e no outro; e no outro!
A adrenalina é viciante, os nervos fogem de nosso controle, nos sentimos em campo, jogando com eles todos, mas, até onde vai o limite do fã e do fanático? Onde termina um e começa outro?
É um perigo isso!
Bem, ganhando ou perdendo, ninguém vai pagar minhas contas mesmo....
Então, que joguem, que ganhem, que percam, que me importa?
Eu é que não diminuo um milímetro de meu bom humor; este sim, é parte super importante de minha vida.

E VIVA O CORINTHIANS!!!!!!

7 comentários:

  1. Foi um bonito presente de despedida para o Sócrates, não foi, Clarice?
    e eu tb, como corinthiano, estou MTO contente rs

    boa semana, querida amiga

    ResponderExcluir
  2. ah, e isso é verdade: apreciar com moderação, não fazer da torcida de futebol uma vida (sai até morte por causa de briga de rival né)

    ou seja, vamos deixar de ser tontos tb né rs

    bjs Clarice! E as folhas aqui no Japão tão iguais ao fundo do seu blog, eu vejo e lembro do seu blog rs

    ResponderExcluir
  3. Sei não, não sofre?... Rsrsrs

    Sou pó de arroz! Gosto muito da história de garra do Flu...

    Parabéns aos corintianos!

    Uma ótima semana p/ vc!

    Beijos Clara!

    ResponderExcluir
  4. Como vc bem disse , esses jogadores que nem sabem falar direito haja visto as entrevistas concedidas é de dar vergonha a analfabeto , ganham fortunas e o torcedor burro vai ao estádio as vezes até tirando o pão e o leite dos filhos para comprar ingresso , fazer o que né .
    Sabado perdemos acho que o unico jogador politizado do país o Socrates,
    Bjus
    Bx.

    ResponderExcluir
  5. Oi Clara!
    Concordo com você, embora não torça por ninguém. Nada de fanatismos, deixar a ilusão de vencedor subir a cabeça. Afinal só quem sai ganhando mesmo é o jogador, o time...
    Beijinhos e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  6. Futebol deveria ser um esporte para os atletas e um divertimento para a torcida, infelizmente está muito longe disso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Clara, eu concordo com vc!Torcer tudo bem,mas matar e morrer pelo time é demais!Os jogadores ganham mesmo fortunas e não estão nem aí se o torcedor vai se suicidar ou nao, depois de uma partida!Grande Clara!bJS,

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo e deixe seu comentário!

Eu os responderei por aqui mesmo ou por email, se achar necessário.

São muito bem-vindos, sempre!